Acusado por reportagem publicada na revista Veja de ter uma conta com o valor de 7,5 milhões de reais no banco suíço BSI, o ex-jogador da Seleção Brasileira, Senador Romário Faria (PSB-RJ), publicou um texto na sua página do Facebook, no qual afirma que o extrato bancário supostamente obtido pela revista é falso.

Provocativo, Romário pergunta: “Alguém aí tem notícias dos repórteres da revista Veja Thiago Prado e Leslie Leitão, que assinaram a matéria afirmando que tenho R$ 7,5 milhões não declarados na Suíça?” O senador cita ainda os redatores-chefes da revista e coloca os links para as páginas dos jornalistas no Facebook, além da foto do extrato bancário com uma tarja “FALSO”.

Dos três endereços publicados por Romário, apenas o de Lauro Jardim continua disponível na rede.

A reportagem

Na matéria, a revista afirma que o senador é “notório por suas pendências financeiras” e que o Ministério Público Federal teria em mãos o extrato de uma conta no nome de Romário de Souza Faria, do banco BSI, que fica em Lugano, na Suíça. A conta teria o valor de 2,1 milhões de francos suíços, o equivalente a 7,5 milhões de reais.

O texto afirma ainda que este valor não aparece na declaração oficial de bens apresentada à Justiça Eleitoral em 2014. Ainda a mesma reportagem diz que Romário teria respondido à revista, dizendo que se o dinheiro for dele, irá buscar e agradeceu pela informação.

Romário nega

Diante da polêmica envolvendo seu nome, Romário viajou para Genebra onde se reuniu com advogados e com o banco suíço. Segundo ele, o banco enviará uma carta oficial, confirmando que a tal conta não existe.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia

Abusando da ironia, que lhe é peculiar, o senador falou que “ninguém esquece 7 milhões, principalmente na crise”.

CPI do Futebol

À frente da CPI do futebol, que começará no dia 4 de agosto, o senador supõe que a notícia pode estar relacionada a uma tentativa de intimidação. Além da CPI, outro motivo seria a possível candidatura à prefeitura do Rio de Janeiro na próxima eleição. Para ele, houve intenção de denegrir sua imagem e declarou que “mais uma vez estão mostrando ao mundo que sou decente”.

O senador vai pedir uma investigação para saber como os documentos foram produzidos.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo