Poucos dias após ter sido reconduzido ao cargo pela presidente Dilma Rousseff e ter passado pela sabatina do Senado, Rodrigo Janot arquivou o pedido de investigação de Gilmar Mendes sobre a VTPB, gráfica fantasma denunciada pelo Antagonista, o que causou um grande mal-estar dentro do STF e do TSE. Rodrigo Janot após arquivar o caso soltou uma nota com seus argumentos: "Não interessa à sociedade que as controvérsias sobre a eleição se perpetuem: os eleitos devem poder usufruir das prerrogativas de seus cargos e do ônus que lhes sobrevêm, os derrotados devem conhecer sua situação e se preparar para o próximo pleito".

Disse também que a prestação de contas de Dilma Rousseff já foi aprovada e que o prazo para questionar irregularidades acabou.

Entretanto o TSE já havia se decidido pela reabertura do processo, a pedido do Ministro Gilmar Mendes. Em declaração neste domingo (30) ao Antagonista Gilmar Mendes disse que a "pacificação social proposta por Rodrigo Janot em seu parecer é a tentativa de criar uma espécie de doutrina Dilma", pela qual a Justiça Eleitoral deixa de ter qualquer relevância.

Mais tarde procurado pela Folha de São Paulo deu novas declarações, fato este que mostra bem o tamanho do mal-estar causado pela decisão de Rodrigo Janot, disse o Ministro Gilmar Mendes: “Rodrigo Janot deveria ater-se mais a instituição e não agir como advogado da presidente Dilma Rousseff”. O ministro disse ainda que tem a convicção da necessidade de investigar a VTPB Serviços Gráficos Ltda. que recebeu cerca de R$ 23 milhões do PT por santinhos e outros materiais impressos, independente da questão eleitoral.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Governo PSDB

A oposição também se manifestou, na Câmara dos Deputados, PSDB, PPS , SD e DEM divulgaram uma nota em que dizem: “Causou grande estranheza nas Oposições os termos da decisão assinada pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, determinando o arquivamento do pedido de investigação referente às contas da campanha da presidente da República, Dilma Rousseff. Não obstante os fortes indícios de irregularidades apontados, o despacho do procurador parece querer dar lições ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) e às Oposições.”

O Ministro João Otavio de Noronha, corregedor do TSE tem prazo ainda para emitir seu voto em ações que correm na justiça eleitoral e que foram movidas pelo PSDB contra a campanha de Dilma Rousseff.

A Presidente Dilma Roussef já havia manifestado sua preocupação quando a maioria do Tribunal Superior Eleitoral votou pela reabertura do processo que pede sua cassação, cerca de duas semanas atrás.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo