As investigações feitas pela Polícia Federal e que fazem parte da operação Lava Jato, concluíram mais uma vez que é crescente  relação de membros e ex membros do governo, como o ex presidente Lula. Em matéria publicada numa grande revista de circulação nacional, foram mostrados as estreitas relações, inclusive de cunho pessoal, de Lula com as empresas que estão no centro dos escândalos de Corrupção e alvos principais das operações lideradas pelo Juiz Sérgio Moro.

Ao deixar  a presidência da república, Lula fundou o Instituto Lula, cujo objetivo era de fomentar as ações de inclusão social pelo país. Mas segundo investigações da Polícia Federal e divulgadas na semana passada, o mesmo servia para algo mais engenhoso.

Tão engenhoso que levou ao enriquecimento rápido do ex-presidente.

Para começar, o nosso ex-presidente, seguindo exemplo de outros presidente, resolveu sair pelo Brasil e pelo mundo realizando palestras. Para administrar este novo negócio, o mesmo criou um empresa, a LILS, usando as iniciais do próprio nome. Esta empresa, faturou em quatro anos a soma de 27 milhões de reais. Isto chamou a atenção da justiça, por que deste montante, 10 milhões vieram de empresas que estão sendo investigadas pela justiça. São elas, a Odebrecht, Camargo Correia, Andrade Gutierrez e a OAZ. Todas repassaram dinheiro para a empresa de Lula, a titulo de pagamento de palestras motivacionais a seus funcionários. Estima-se que Lula cobrava a pequena quantia de R$ 13.000,00 por minuto. Além disto, o ex-presidente servia de interlocutor na prospecção de novos mercados de negócios no exterior para as empresas investigadas.

Os melhores vídeos do dia

Deste modo, depreende-se a sua imensa folha de serviços prestados a este grupo seleto de empresas.

O relatório da Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) aponta que os 27 milhões recebidos pelo ex-presidente, foram distribuídos de forma bem planejada. 12,9 milhões foram utilizados em aplicações financeiras e os outros 5 milhões foram depositados em um plano de previdência privada.

Os dados da Coaf, apontam ainda que Lula beneficiou dois filhos seus. Fábio Luís, o filho mais velho recebeu 10 milhões ao vender parte da empresa de games ainda durante o primeiro governo do pai. O filho mais novo, Luís Cláudio, abriu um empresa organizadora de eventos, a Touchdown, que é responsável por organizar torneios de futebol americano. Esta empresa movimentou apenas em sete meses, a quantia de R$ 6,2 milhões de reais. Vale salientar que Luís Cláudio, até pouco tempo era auxiliar da equipe de preparadores físicos do time de futebol do Palmeiras.

A empresa Touchdown foi aberta por ele no ano de 2011, com capital social de R$ 1.000,00, com apenas um funcionário registrado e faturamento declarado de R$ 50.000,00 .

Os analistas da Coaf consideraram a sua movimentação financeira incompatível com seu patrimônio, sua atividade econômica e capacidade financeira. Luís Cláudio nunca se pronunciou sobre o fato. Nem mesmo pode ser encontrado para dar maiores explicações.

Outros repasses financeiros foram realizados, inclusive para o próprio diretor da LILS, Paulo Tarcísio Okamoto, no valor de R$ 1,1 milhão para a sua conta pessoal.

Diante do exposto, é natural que as investigações sobre a relação entre o ex-presidente Lula e as empreiteiras sejam aprofundadas. E novos fatos podem surgir.