Depois de decidir manter o veto doaumento para aposentados e pensionistas do INSS, emsessão do Congresso, no dia de ontem (18), o trecho da mini reforma eleitoral vetado por Dilma Rousseff, que prevê a impressão dos votos, foi reestabelecidopelo legislativo.

A ideia proposta pelos deputados e senadores, e que havia sido rejeitada, em tese, é para dar mais confiabilidade na apuração dos resultados. A cédula impressa não deve substituir a urna eletrônica, mas sim, complementá-la.

A votação deverá acontecer da mesma forma que acontece hoje, entretanto, após a confirmação na urna eletrônica, uma impressora emitirá um cupom de confirmação dos votos que deverá ser depositado em uma urna.A impressão do voto, permitirá que órgãos fiscalizadores, partidos e a sociedade em geral, faça auditoria dos resultados das Eleições, isto é, após o resultado ser confirmado pelas urnas eletrônicas, haverá possibilidade de conferência anual.

Através das redes sociais, senadores comemoraram a vitória:

“O voto impresso significa a consolidação da democracia.

O Brasil era o único país em que a urna eletrônica não podia ser contestada. Dilma, esse não é um assunto da presidente, é um assunto do Legislativo. Foi uma vitória do eleitor que poderá ter a certeza de que seu voto será validado e conferido”, disse Ronaldo Caiado (DEM), através de seu Facebook.

“Com a impressão dos votos, daremos ao eleitor a segurança de que seu voto foi computado. Esse é um grande avanço e o governo erra ao transformar isso em uma disputa política.

Não apresentamos essa proposta olhando no retrovisor, mas pensando no futuro e na tranquilidade do cidadão que precisa ter a certeza de que seu voto teve valor”, disse Aécio Neves (PSDB), também pelo Facebook.

Na ocasião do veto, a presidente Dilma justificou dizendo que a medida geraria um impacto de 1,8 bilhão de custos adicionais em um momento onde o governo procura fazer cortes para fazer ajustes.Apesar de ser considerada segura, a urna eletrônica, assim como qualquer outro dispositivo eletrônico, é suscetível a erros e ataques de hackers e crackers, portanto, ao que tudo indica, imprimir os votos parece ser uma boa ideia.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Eleições

O modelo de urna eletrônica utilizado no Brasil é classificado como de primeira geração DRE (Direct Recording Electronic voting machine), onde o voto é apenas eletrônico e sem conferência manual. Na ultima década, vários países como: Holanda, Alemanha, Estados Unidos, Canadá, Rússia, Argentina e Paraguai, substituíram o modelo considerado ultrapassado por outros mais avançados, que permitem a realização de auditoria dos votos.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo