Conforme a Folha de S.Paulo, o Ministério Público Federal (MPF) apresentou denúncia, nesta segunda, 14, contra o empresário pecuarista José Carlos Bumlai, amigo do ex-presidente Lula, e mais dez pessoas, por crimes de gestão fraudulenta, lavagem de dinheiro, Corrupção ativa e passiva.

Todos os denunciados são suspeitos de envolvimento nos crimes de corrupção, na Petrobrás, investigados pela Operação Lava Jato. Além de Bumlai, também foram denunciados o filho dele, Maurício de Barros Bumlai e a nora, Cristiane Dodero Bumlai.

Publicidade
Publicidade

Do Grupo Schaim, os três executivos, Salim Schahim, Milton Taufic Schahim e Fernando Schahim. Da Petrobrás, os ex-diretores Jorge Zelada e Nestor Cerveró e o ex-gerente Eduardo Musa. Do Partido dos Trabalhadores (PT), o ex-tesoureiro João Vaccari Neto e o lobista Fernando Soares, o Fernando Baiano.

Segundo o Ministério Público Federal, em 2004, portanto durante o governo Lula, o pecuarista fez um financiamento, junto ao banco Schaim, no valor de R$ 12 milhões, os quais foram repassados para pessoas vinculadas ao PT.

Publicidade

De acordo com o MPF, esse dinheiro jamais foi pago. No entanto, em troca do perdão dessa dívida, Bumlai fez um acordo com o grupo Schaim, garantindo que a empresa de engenharia do grupo firmasse contrato com a Petrobrás, no valor de US$ 1,6 bilhão, para operar o navio-sonda, em 2009.

De acordo com a denúncia, Jose Carlos Bumlai se valeu do fato de ter trânsito fácil com Lula para conseguir o contrato, considerado irregular pela Polícia Federal.

O MPF afirma ainda na denúncia que Bumlai simulou o pagamento do empréstimo contraído junto ao banco Schaim, através de um "processo" de compra e venda de embriões firmado entre as fazendas dele e a do grupo.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Lava Jato Corrupção

Os procuradores afirmam na denúncia, que entre outubro de 2006 e dezembro de 2009, os executivos Milton, Fernando e Salim Schaim, além de perdoarem a dívida que a valores corrigidos gira em torno de R$ 49 milhões, ofereceram ao executivo Eduardo Musa, uma propina de US$ 1 milhão a favor do Partido dos Trabalhadores.

Bumlai está preso há cerca de três semanas, em Curitiba, e nega os fatos. Essa é a primeira acusação formal contra o amigo de Lula. Se a denúncia for aceita, o empresário vira réu e deverá responder à Justiça por esses fatos. 

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo