A Polícia Federal realizou hoje um mandado de busca e apreensão nas residências de Eduardo Cunha (PMDB), com endereços em Brasília e no Rio de Janeiro. Cunha foi acusado de lavagem de dinheiro e Corrupção. Assessoria do presidente da Câmara dos Deputados informou que ele estava em casa quando a PF chegou.

Houve busca e apreensão também nas casas de: Celso Pansera (PMDB-RJ), ministro de Ciência e Tecnologia (que até então não era investigado), Henrique Alves (PMDB-MA), os senadores Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE) e Edison Lobão (PMDB-MA), e do deputado federal Aníbal Gomes (PMDB-CE), todos investigados.

No total, o ministro Teori Zavascki, STF, autorizou buscas em 53 locais, divididos entre: São Paulo, Ceará, Distrito Federal, Rio Grande do Norte, Pernambuco, Rio de Janeiro e Pará.

Os envolvidos na investigação incluem: órgãos públicos, escritórios de advocacia e sedes de empresas. Além de outros crimes, eles podem responder por organização criminosa e lavagem de dinheiro.A investigação também envolve a chefe de gabinete de Cunha, Denise Santos, e Fábio Cleto, ex-vice-presidente da Caixa – que foi exonerado por Dilma na última semana, e o ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado.

Em relação a operação de busca e apreensão realizada em suas residências, Cunha declarou que "o governo quer desviar a mídia do processo de impeachment e colocar em mim e no PMDB a concentração dos atos [investigados pela Operação Lava Jato]. [...] Nada mais natural do que ele [governo] querer buscar revanchismo".

O Planalto publicou o seguinte comunicado:

"O Governo Federal espera que todos os fatos investigados na nova fase da Operação Lava Jato envolvendo Ministros de Estado e outras autoridades sejam esclarecidos o mais breve possível, e que a verdade se estabeleça".

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Corrupção Política

Cassação do mandato do Deputado

Hoje, 15, foi aprovado por 11 votos a 9 a abertura do processo que poderá cassar o mandato de Cunha. Em resposta a rumes criados hoje, o ainda presidente da Câmara tornou a afirmar que não renunciará à presidência da Câmara, e disse ainda ser "absolutamente inocente".

Os parlamentares que votaram para aprovação do relatório foram: Fausto Pinato (PRB-SP), Júlio Delgado (PSB-MG), Paulo Azi (DEM-BA), Arnaldo Faria Sá (PTB-SP), Valmir Prascidelli (PT-SP), Marcos Rogério (PDT-RO), Leo de Brito (PT-AC), Nelson Marchazan (PSDB-RS), Rossoni (PSDB-PR), Sandro Alex (PPS-PR) e Zé Geraldo (PT-PA).

Já os parlamentadores que votaram contra o relatórioforam: Vinícius Gurgel (PR-AP), Washington Reis (PMDB-RJ), Cacá Leão (PP-BA), Erivelton Santana (PSC-BA), Paulo Pereira (SD-SP), João C. Bacelar (PR-BA), Ricardo Barros (PP-PR), Manoel Junior (PMDB-PB) e Wellington Roberto (PR-PB).

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo