Mais uma vez, o trabalhador brasileiro vai pagar pelas contas dos compromissos assumidos pelo governo. Em uma decisão do Conselho que administra o FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço), ficou acertado que os recursos para a execução da terceira fase do programa Minha Casa Minha Vida deverão ser provenientes do mesmo.

Os cortes de gastos do #Governo obrigaram a uma diminuição de recursos do programa neste ano. Como resultado, houve uma diminuição no ritmo das obras e uma onda de demissões, por parte das empresas contratadas para a execução do projeto.

O aspecto eleitoral para manter o 'Minha Casa'  e que não são esquecidos pelo governo

A terceira fase do MCMV é uma promessa de campanha de Dilma e que contribuiu para sua reeleição.

Soma-se a isto, o fato de que ele constitui uma das 'peças publicitárias' mais famosas do governo petista, ao lado do Bolsa Família. Dilma não descuidou-se disto, até porque no ano de 2016 haverá eleições municipais. O programa habitacional será fundamental para que o partido possa arregimentar mais votos e continue com sua influência no âmbito municipal. 

As dificuldades econômicas para o financiamento do programa

O governo enfrenta dificuldades em manter o programa, principalmente, após os ajustes nas contas públicas. Do total inicial de R$ 15,5 bilhões, que seriam destinados ao programa para o ano de 2016, foram cortados R$ 8,6 bilhões. O restante, cerca de 6,9 bilhões, é insuficiente para a execução e conclusão de sua terceira fase. Além disto, as construtoras iriam demitir mais funcionários, pela impossibilidade de manter tanta mão de obra para um volume reduzido de obras.

Os melhores vídeos do dia

O Governo pediu a intervenção do programa habitacional 

Diante do quadro econômico que poderia comprometer o andamento do programa, o governo resolveu recorrer ao FGTS e pediu a intervenção no MCMV. De acordo com Luigi Nese, que é representante da CNS (Confederação Nacional de Serviços) e que faz parte do Conselho Curador do FGTS, o governo solicitou a ajuda do fundo. Este órgão é composto por membros que são indicados pelo próprio governo.

Após a análise, a transferência de recursos foi aprovada, ainda no mês de setembro. A  sua utilização foi imediata, pois a preocupação era manter o nível de emprego no setor da construção civil.

Os recursos do FGTS serão utilizados a fundo perdido

O dinheiro proveniente do FGTS será utilizado a título de fundo perdido, ou seja, o que for usado não será ressarcido novamente ao FGTS. Esta é uma exigência do Conselho, para que fique bem claro à toda população brasileira. Por conta disto, o governo pretende gastar cerca de R$ 30 milhões em propaganda para um maior esclarecimento de toda a nação brasileira.

Os recursos do FGTS serão utilizados para o financiamento de moradias para a população, com faixa salarial de até R$ 1,8 mil por mês. Foram aprovados a utilização de R$ 4,8 bilhões do fundo e autorizado o financiamento de até 60% do valor do imóvel, com limite de R$ 45 mil por moradia. Serão incluídos também a faixa de 1,5 e que inclui famílias com renda de até R$ 2.350 mensais, sendo o mesmo valor de limite para a faixa anterior. #PT #Dilma Rousseff