Após o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), ter aceito o pedido de impeachment na última quarta-feira (2), a presidente Dilma Rousseff e sua base de governo iniciaram a busca por apoio na Câmara dos Deputados e Senado para enterrar o processo o mais rápido possível.

Mas com uma base já deteriorada e cada vez mais infiel, a presidente Dilma se voltou para os governadores aliados em busca de apoio.

O Nordeste segue sendo a carta na manga do Governo. Na última quinta-feira (3), um dia após o anúncio feito por Cunha, oito dos nove governadores da Região assinaram uma carta de repúdio ao impeachment, apenas Renan Filho (PMDB-AL) não participou.

A reportagem da Folha de S. Paulo entrou em contato com todos os 27 governadores dos estados brasileiros para saber o que pensam sobre o processo de impeachment que segue rito de tramitação na Câmara dos Deputados.

15 se disseram contra o pedido de impeachment, nove preferiram não se manifestar, dois não atenderam a reportagem e apenas um falou claramente ser a favor do impeachment.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Política PT

Vejo como ficou o mapa de apoio à presidente Dilma:

Acre – Tião Viana (PT)

Amapá – Waldez Góes (PDT)

Tocantins – Marcelo Miranda (PMDB)

Maranhão – Flávio Dino (PC do B)

Piauí – Wellington Dias (PT)

Ceará – Camilo Santana (PT)

Rio Grande do Norte – Robinson Faria (PSD)

Paraíba – Ricardo Coutinho (PSB)

Pernambuco – Paulo Câmara (PSB)

Alagoas – Renan Filho (PMDB)

Sergipe – Jackson Barreto (PMDB)

Bahia – Rui Costa (PT)

Distrito Federal – Rodrigo Rollemberg (PSB)

Minas Gerais – Fernando Pimentel (PT)

Rio de Janeiro- Luiz Pezão (PMDB)

Veja o único governador que anunciou declaradamente ser a favor do impeachment:

Mato Grosso – Pedro Taques (PSDB)

Alguns governadores não quiseram se manifestar:

Amazonas – José Melo (Pros)

Pará - Simão Janete (PSDB)

Goiás – Marconi Perillo (PSDB)

Mato Grosso do Sul – Reinaldo Azambuja (PSDB)

Espírito Santo – Paulo Hartung (PMDB)

São Paulo – Geraldo Alckmin (PSDB)

Paraná – Beto Richa (PSDB)

Santa Catarina – Raimundo Colombo (PSD)

Rio Grande do Sul – José Sartori (PMDB)

Apenas dois governadores não responderam as ligações da reportagem:

Roraima – Suely Campos (PP)

Rondônia – Confúcio Moura (PMDB)

Para a surpresa de muitos, mesmo o PSDB fazendo oposição a Dilma, apenas um governador tucano declarou abertamente ser a favor do impeachment. Nomes como Geraldo Alckmin, possível candidato a presidência em 2018, e Beto Richa, um dos nomes fortes do PSDB na região Sul, preferiram ser mais contidos em suas colocações.

Alckmin disse ser preciso seguir o rito legal do processo e afirmou que “impeachment não é golpe”, como os petistas vem defendendo. Richa disse que “ninguém é a favor ou tem o prazer de defender o afastamento.

Até porque somos democráticos e respeitamos os resultados das urnas”.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo