Neste histórico 13 de março onde o povo brasileiro mostrou sua força e sua união contra a corrupção e pela vontade de ter um país melhor, um nome soou nas ruas e foi exaltado e homenageado por milhões de pessoas, esse nome foi o de Sérgio Moro, juiz federal responsável em comandar a Operação Lava Jato da Polícia Federal.

Segundo organizadores do evento, mais de 6 milhões de pessoas foram as ruas nesse domingo e expressaram sua inconformidade com a atual situação do país. Os principais gritos eram a favor do impeachment de Dilma, a prisão de Lula e de apoio ao juiz Sérgio Moro.

Sérgio Moro se comoveu com as manifestações e divulgou uma nota comentando sobre o histórico 13 de março

Moro divulgou uma nota na imprensa agradecendo ao apoio da multidão nas ruas e afirmou que as referências ao seu nome foram originadas da bondade do povo brasileiro.

“Fiquei tocado pelo apoio as investigações da Operação Lava Jato, apesar das referências ao meu nome, tributo a bondade do povo brasileiro”.

Ele também afirmou que o êxito das investigações da Operação Lava Jato se deve a um trabalho robusto e em conjunto da Polícia Federal, do Ministério Público e de todas as instâncias do Poder Judiciário.

Juiz fez questão de dizer que as autoridades eleitas e os partidos políticos devem ouvir a voz que vem das ruas

Sérgio Moro também deixou claro que a voz que vem das ruas deve ser ouvida e levada em consideração pelas autoridades eleitas legitimamente e pelos partidos políticos, pois dessa forma, acontecerá um fortalecimento das instituições estabelecidas em favor ao combate a corrupção.

“Importante que as autoridades e partidos ouçam a voz que vem das ruas e que igualmente se comprometam ao combate a corrupção, pois atualmente trata-se de iniciativa exclusiva das instâncias de controle”.

Os melhores vídeos do dia

Outra célebre afirmação de Moro é que “não há futuro com a corrupção sistêmica que é responsável em destruir a democracia, nosso bem estar econômico e nossa dignidade como país”.

Após as manifestações, o Supremo Tribunal Federal deve concluir, no decorrer dessa semana, o julgamento sobre o processo de impechment da presidente Dilma Rousseff e ditar o ritmo e as regras a serem seguidas na Câmara dos Deputados onde o processo foi aberto.