A Universidade Federal do Paraná (UFPR) resolveu promover um ato público onde os juristas aproveitaram para lançara "Carta de Curitiba", onde procuram reiterar a "defesa dos preceitos básicos garantidos na Constituição".

A Carta de Curitiba é na verdade uma forma de criticar os atos cometidos pelo juiz Sérgio Moro, que, aliás, leciona nesta universidade. O ato chamado de "Defesa da Democracia" contou com um grande número de estudantes, além de representantes de vários movimentos sociais e também de advogados, todos se mostrando contrário ao impeachment de Dilma.

Através da Carta de Curitiba é denunciado os ataques sistemáticos às instituições democráticas e acusa esta tentativa de "semeação de ódio, intolerância e violência" que tem crescido através da mídia.

Um trecho da Carta de Curitiba diz que os serviços públicos de rádio e também de televisão estão sendo utilizados como forma de "desestabilizar" o regime democrático, mas fica claro que este recado é direto para a Rede Globo.

O "Golpismo da OAB", que pode repetir 1964, serviu de enredo para os ataques dos juristas que demonstraram que hoje há um "inconformismo republicano" que vem lutando para que aconteça o impeachment de Dilma Rousseff, mesmo que não seja dentro da lei e de acordo com a Constituição.

Mas o principal alvo da "Carta de Curitiba" é de fato o juiz Sério Moro, que é acusado de "produzir provas de maneira criminosa, ilegal" e para isto vem utilizando de vários recursos, inclusive de grampos telefônicos, e usando até de condução coercitiva, como aconteceu em relação ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O documento ainda pede para os brasileiros não terem medo de "denunciar o obscurantismo que insiste em se instalar no País".

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Governo Corrupção

A Carta de Curitiba está disponível no “Google Docs” e divide opiniões, principalmente nas redes sociais, onde há pessoas se posicionando contra e a favor.

Hoje o país está dividido entre aqueles que querem Dilma e o PT longe da presidência e aqueles que acham que eles não podem ser tirados da forma como está sendo feito e que sem provas concretas eles têm o direito de continuar administrando o país.

Com esta Carta de Curitiba, o debate entre prós e contras promete esquentar ainda mais.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo