O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), juntamente com os partidos de oposição, pretende levar a votação do Impeachment da presidente Dilma Rousseff para um domingo. Cunha discute essa possibilidade, para que possam ocorrer manifestações e participação do povo na pressão sobre os deputados para agilizar o processo de impeachment da presidente petista. Um aliado do peemedebista, comentou, que o povo deve participar, porém, a escolha do domingo de votação ainda não foi definido, devido a outros fatores que estão sendo avaliados.

Publicidade
Publicidade

Há uma grande chance de ser em abril a votação, se não houver judicialização. Um outro ponto de discussão é a forma de votação no Plenário. Há a possibilidade dos parlamentares falarem ao microfone se votam a favor ou contra ao afastamento de Dilma Rousseff, seria uma votação aberta. O público presente, desta forma, poderia saber melhor quem são os deputados a favor e contra o impeachment. Buscando uma maior adesão aos processos contra a presidente, Eduardo Cunha está em contato com líderes partidários de Estados do Sul, iniciando a sessão por eles e finalizando com os deputados do Norte. Esta estratégia de Cunha seria para criar uma euforia nas manifestações e expectativas maiores para o impeachment da presidente.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Lula Governo

"Placar do Impeachment"

A oposição pretende divulgar nas dependências da Casa, através de um placar, todos os votos do Plenário, seria um "placar do impeachment", assim a população estaria acompanhando voto por voto, todos os detalhes da sessão e vigiando os deputados em suas votações. Haverão também "coordenadores do impeachment" por Estado, e vários deputados já estão escalados para rebater críticas governistas.

Objetivos de Cunha

O presidente da Câmara tem como objetivo estimular a rápida votação pelo afastamento da presidente petista, para isso, ele está agilizando ao máximo as votações e tentando, em menos de 45 dias, já ter o processo de impeachment analisado.

Publicidade

Cunha pretende convocar sessões todos os dias da semana favorecendo a rapidez do processo. 

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo