Dilma fez um discurso acalorado na manhã desta quinta-feira (17), na cerimonia de posse dos novos ministros, onde afirmou que a divulgação da gravação feita no grampo da PF, tem fortes indícios de se tratar de um golpe. Entre eles estava o ex-presidente Lula, que foi empossado e "esteve" ministro da Casa Civil, por pouco tempo, até que o juiz da 4ª. Vara Federal Itagiba Catta Preta, suspendeu a nomeação de Luiz Inácio Lula da Silva.

"Os golpes começam assim" afirma a Presidente Dilma Rousseff 

De acordo com o portal de notícias O Globo, no discurso feito pela Presidente Dilma, durante a cerimonia de posse dos novos ministros, ela repudiou veementemente o vazamento de informações que deviam ser sigilosas, da operação Lava Jato, entre elas a divulgação de delações premiadas e principalmente a divulgação das conversas telefônicas, entre a presidente e Lula.

O juiz Sérgio Moro tornou público no fim da tarde de quarta-feira (16), vários trechos de gravações de conversas telefônicas, que foram obtidas por meio de grampos, autorizadas pela Polícia Federal.

Entretanto entre as gravações a que teve mais repercussão e foi massivamente divulgada pela mídia, mostra o trecho da conversa entre Dilma e Lula, falando da entrega de um documento que o ex-presidente só deveria usar em caso de necessidade.

Em certo momento do discurso a Presidente Dilma, afirmou que "quer saber quem autorizou as gravações" e que a liberação das mesmas foi irresponsável na intenção de "Convulsionar a sociedade brasileira em cima inverdade, de métodos escusos, que viola princípios e garantias constitucionais, violam o direito do cidadão e abre precedentes gravíssimos. Os golpes começam assim."

Dilma afirma que tomará as medidas judiciais cabíveis

A presidente afirmou que a atitude de Moro, que decidiu quebrar o sigilo e divulgar as gravações, é uma " flagrante violação da lei e da constituição, cometida pelo juiz autor do vazamento".

Os melhores vídeos do dia

Dilma disse ainda que todas as medidas judiciais cabíveis serão tomadas. 

Manifestações

Desde que as gravações feitas pela PF foram à público, as manifestações ganharam força nas ruas de várias cidades do Brasil. A população tem o direito de se manisfestar, contra ou a favor do governo, entretanto, esperamos que as manifestações sejam pacíficas, sem agressões e vandalismo, de onde a democracia saia fortalecida.