Anúncio
Anúncio

Após uma reunião, na manhã desta quarta-feira, 16 de março, o ex-presidente Lula aceitou o convite da presidente Dilma e será o novo Ministro da Casa Civil. O encontro contou com a presença do Ministro da Fazendo, Nelson Barbosa, e o ex-Ministro da Casa Civil e agora chefe de gabinete da Dilma, Jacques Wagner.

Com a nomeação, o político sai da alçada do juiz Sérgio Moro e conquista foro privilegiado.

Por sua vez, a oposição acusa a presidente Dilma e seus assessores de tentar blindar o ex-presidente e impedir futuras investigações contra ele.

Para assumir o cargo, o ex-presidente impôs algumas condições.Entre elas está autonomia total na articulação Política do governo e a possibilidade de fazer mudanças na política econômica.

Anúncio

Nomes para o governo

Outra condição de Lula para assumir a pasta foi montar uma equipe na qual ele confie. Entre os nomes ventilados em Brasília, estão o de Celso Amorim para Relações Exteriores. Não está descartada a retirada de Aloizio Mercadante na Educação. O suposto substituto seria Ciro Gomes.

Mudança no Banco Central

Segundo informações apuradas pelo jornal Folha de S. Paulo, as mudanças na economia podem fazer com que Alexandre Tombini deixe a presidência do Banco Central. Ainda, de acordo com o periódico, ele teria dito a interlocutores petistas que não ficará caso o governo saia dos trilhos atuais.

As mudanças que são esperadas do ex-presidente Lula são vendas de reservas internacionais, liberação de créditos na economia e queda forçada dos juros.

Anúncio
Os melhores vídeos do dia

Linha do tempo

Na semana retrasada, Lula foi levado coercitivamente pela Polícia Federal para depor no caso do sítio de Atibaia e do triplex do Guarujá. Essa ação fez com que o ex-presidente ficasse muito nervoso.

Após esse fato e a publicação de parte da Delação Premiada de Delcídio do Amaral, senador da república pelo Partido dos Trabalhadores (PT), assessores e políticos próximos à presidente Dilma a convenceram a convidá-lo para assumir algum ministério. No entanto, sua nomeação ganhou mais força depois de sábado, quando parte do PMDB decidiu sair da base de apoio do governo, e depois das manifestações que levaram mais de três milhões de pessoas para as ruas em todo o país.

Entre as palavras de ordem no último domingo, 13 de maço, foi o combate à corrupção, contra o governo de Dilma Rousseff, contra o ex-presidente Lula e apoio ao juiz federal Sérgio Moro.

Anúncio