Na manhã desta quinta-feira (17), foi empossado ministro da Casa Civil o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva. Ato contínuo, o juiz federal Itagiba Catta Preta Neto, do Distrito Federal, deferiu uma liminar suspendendo a posse. Enquanto juristas discutiam se Lula havia se tornado ministro ou não, oficiais de justiça foram ao Palácio do Planalto entregar o documento, que deveria ser recebido pela presidente Dilma Rousseff. Foram então informados de que Dilma estaria no Alvorada e para lá se dirigiram.

Publicidade
Publicidade

Mais uma vez foram informados de que a presidente não estava no local.

Para agravar a situação do governo, o ministro do Superior Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes, um dos maiores críticos do PT, será o relator da enxurrada de mandados de segurança contra a posse que ingressaram hoje. Divulgado seu nome, um assessor do governo desabafou: "desgraça pouca é bobagem". Gilmar Mendes já havia se manifestado contra a nomeação de Lula.

As razões de Catta Preta

Na liminar o juiz determinou que Dilma fosse intimada de imediato para cumprimento da decisão.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Lula

Catta Preta justifica sua ação alegando que, ao se tornar ministro, Lula pode "ensejar intervenção indevida e odiosa na atividade policial, no Ministério Público e mesmo no exercício do Poder Judiciário".

O documento defende que o ex-presidente não deve ocupar nenhum cargo que lhe conceda foro privilegiado.

Alguns juristas acreditam que o juiz já não teria competência para tal ato, depois da nomeação de um ministro de Estado. Porém Catta Preta alega que a competência do STF não elimina a competência de um juiz de primeira instância e afirma que há jurisprudência suficiente sobre a situação.

Publicidade

Lula ganha tempo

 

Ao ser recebida por Dilma, a intimação teria o efeito de suspender Lula do cargo, até o julgamento final do caso.

A Advocacia Geral da União (AGU), que defende o governo na Justiça, anunciou que trabalha para tentar derrubar a liminar até o final do dia.

Numa clara tentativa de ganhar tempo, Dilma continua escondida e se nega a receber a intimação.

 

 

 

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo