O governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin e o Secretário de Segurança do Estado, Alexandre de Moraes, comunicaram oficialmente que está terminantemente proibido a realização de protestos a favor de Dilma na Avenida Paulista no próximo domingo, 13 de março.

A determinação paulista veio como forma de segurança para o evento, uma vez que militantes petistas estão combinando pela internet de protestarem nos mesmos locais que os pró-impeachment em todo o Brasil.

Como há discurso de ódio e receio de que haja violência generalizada, o governo juntamente com o responsável pela segurança pública do estado tomou essa decisão.

O governador de São Paulo deixou claro que é um direito de todos realizarem manifestações pacificas, entretanto é um dever do Estado zelar pela segurança pública, não permitindo que dois grupos contrários protestem nos mesmos locais.

Alckmin disse que houve o pedido para realizar as manifestações petistas, mas que este foi negado, pois os protestos de domingo já estavam agendados há mais de um mês, logo, a prioridade é de quem solicitou antes.

Os apoiadores de Dilma e Lula podem realizar manifestações em locais distantes de onde estejam os ‘pró-Impeachment’. A Polícia Militar e Guarda Municipal estarão de plantão acompanhando os protestos e preparados para eventuais confusões e desordem, podendo deter quem extrapolar o objetivo das manifestações depredando patrimônio público ou privado, bem como gerando perigo consumado ou tentado para terceiros e autoridades policiais.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Lula Política

Vale ressaltar que isso não impede que militantes estejam na região ou em outros estados. A decisão de Alckmin vale somente para São Paulo e demais estados devem aguardar posicionamento oficial de seus respectivos governadores ou secretários de segurança pública, logo, as orientações para não levar crianças e animais nos protestos continuam valendo, pois nunca se sabe quando haverá ações de grupos de militantes ou de black blocks.

Paulistas aplaudiram a decisão do governador, já oposicionistas esbanjaram críticas. E você, o que achou dessa situação? Deixe um comentário com sua opinião.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo