Nessa quarta-feira (2), uma página na Internet entrou no ar em que o ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva e seus filhos, Fábio Luis e Luis Cláudio, postam argumentações e defesas de todas as acusações das quais estão sendo alvos na Justiça e também o teor de todas as ações judiciais as quais a família “Lula da Silva” move contra jornalistas, políticos e um procurador jurídico.

A página eletrônica denominada “A bem da verdade” possui em sua totalidade 45 medidas legais tomadas pelos três, o pai e os dois filhos. Algumas ações foram feitas em conjunto, outras de forma separadas e isoladas, mas todas visando a reparação de danos morais e também pedindo ações indenizatórias.

Foi uma forma que Lula e seus filhos acharam para se defender de tantas matérias que envolvem seus nomes.

O domínio da página pertence à empresa G4 Entretenimento e Tecnologia Digital Ltda na qual Fábio Luis é sócio-diretor. A empresa está situada no bairro dos Jardins em São Paulo. Outra empresa de Fábio também está situada no mesmo endereço, a LFT Marketing Esportivo, na qual foi alvo da Operação Zelotes, onde agentes da Polícia Federal fizeram mandados de buscas e apreensões no escritório da marca.

Currículos profissionais dos dois filhos de Lula são divulgados no site

A página possui um campo em que os currículos profissionais dos dois filhos de Lula são apresentados e um link para biografia de Lula no site do Instituto Lula.

Fábio Luis possui bacharelado e licenciatura em Ciências Biológicas e Luis Cláudio possui formação em Educação Física.

Os melhores vídeos do dia

Experiências profissionais de Luis Cláudio nos quatro grandes times paulistas são explicadas detalhadamente.

Luis Cláudio foi auxiliar técnico da Sociedade Esportiva Palmeiras e do Santos Futebol Clube em 2008 e 2009 e preparador físico do São Paulo Futebol Clube em 2006 e do Sport Clube Corinthians Paulista em 2010.

O instituto Lula não divulgou nenhuma nota sobre a entrada do site no ar, somente assessores da família de Lula esclareceram que o site é classificado como “autoexplicativo”.