Anúncio
Anúncio

Uma matéria da "Veja" continua dando o que falar, pois a revista garante ter descoberto o plano secreto do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva que, para evitar ser preso na "Operação Lava Jato", estaria pedindo asilo a uma embaixada e, de modo especial, a italiana, mas a embaixada nega que isso seja verdade.

Ainda, de acordo com a "Veja", o motivo de ter preferência pela Itália é que dona Marisa Letícia, esposa de Lula, possuiu  cidadania italiana e esta é extensiva aos familiares, o que facilitaria a fuga de todos para lá.

A revista informou que Lula iria se abrigar na embaixada italiana e depois negociar um salvo-conduto para conseguir deslocar-se com segurança até o aeroporto e, assim, voaria diretamente para a Itália, onde viveria em liberdade.

Anúncio

A matéria divulgada informa que o ex-presidente e também alguns de seus aliados já teriam conversado com o embaixador italiano aqui no Brasil, Raffaele Trombetta, mas este desmentiu tudo em um comunicado oficial.

A revista traz detalhes sobre o "plano secreto" e conta que foi promovido pelo embaixador um jantar, em Brasília, onde mais de 40 convidados foram recebidos, sendo todos amigos de Lula e, neste encontro, foi tratado o assunto, analisando quais seriam as consequências do petista pedir asilo à embaixada, informação esta que também foi negada por Trombetta.

A embaixada italiana no Brasil informou que todas as informações publicadas pela "Veja" e até as supostas conversas do embaixador são inverídicas.

Anúncio
Os melhores vídeos do dia

Alberto La Bella, chefe de gabinete de Trombetta, confirmou que foi procurado pela revista para comentar sobre o assunto, entretanto, ele disse que não iria comentar fatos referentes à embaixada e que todos eles "são totalmente inexistentes".

E a respeito da foto divulgada pela "Veja", onde Trombetta aparece o Palácio do Planalto em um evento, a embaixada confirmou que a pessoa que aparece sentada em uma das primeiras fileiras, não é Raffaele Trombetta, ou seja, trata-se de uma foto falsa.

Seja como for, a matéria serviu para esquentar ainda mais o clima político no Brasil, que já anda fervendo com os últimos acontecimentos.