O pedido de prisão preventiva solicitado pelo Ministério Público do Estado de São Paulo contra o ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, continua rendendo enorme polêmica em todo o país. Os promotores responsáveis pela denúncia contra Lula, fundamentaram a solicitação à juíza que analisará o caso,requisitando que o mandado de prisão seja autorizado, para que o ex-presidente seja transferido pessoalmente.

O promotor responsável pelas investigações, Cássio Conserino, e toda a equipedos promotores de Justiça do estado de SP envolvida nas apurações, atribuem ao ex-presidente e a outros denunciados no inquérito diversos crimes, dentre eles organização criminosa e formação de quadrilha.

Decisão da juíza

A juíza Maria Priscilla Ernandes, da Quarta Vara Criminal da Capital, irá analisar o pedido dos promotores a respeito da sustentabilidade do mandado deprisão preventiva de Lula, além de verificar a necessidadepara que se tenha uma data fixa, se acolhido o decreto de prisão.

Os promotores paulistas, Cássio Conserino, José Carlos Blat e Fernando Henrique de Moraes Araújo, defendem que, caso sejam aceitos os mandadosde prisão preventiva do ex-mandatário do país e dos outros denunciados, "que sejam cumpridos na forma a ser estabelecida pelo Ministério Público, inclusive com a utilização de força policial, se houver necessidade".

Além do ex-presidente Lula, sua esposa Marisa Letícia e seu filho Fábio Luiz Lula da Silva, também foram denunciados, com solicitação de prisão pelo Ministério Público paulista.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Lula Governo

Além dos membros da família Lula, o ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto (já réu na Operação Lava-Jato), e o empreiteiro chefe da empresa OAS, Léo Pinheiro, também tiveram solicitados mandadosde prisão. Dentre os crimes atribuídos a Lula, destacam-se a lavagem de dinheiro e falsidade ideológica. A defesa do ex-presidente atribui a ação dos promotores paulistas,às críticas de Lula às decisões judiciais, e que se tem como intuito, o objetivo de se "amordaçar" um líder político e "impediramanifestação de seu pensamento e até mesmo o exercício de seus direitos", de acordo com a sua defesa.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo