O grupo “MBL” (Movimento Brasil Livre) declarou que vai lançar mais de 130 candidatos para concorrer às eleições municipais. O movimento se classificava como de cunho “suprapartidário”, mas agora está negociando com partidos como o DEM, PSC e PPS.

Um dos fundadores do movimento disse que não tem planos para fundar um partido próprio, disse ainda que o grupo é um movimento de oposição ao governo. De acordo com eles, faltam pessoas que os representem, que falem o que eles pensam.

O grupo já tem seus favoritos para algumas prefeituras, como Fernando Holiday, que comparou Adolph Hitler a Zumbi dos Palmares, ele promete dar mais poder aos pobres. Outro favorito é o Rubens Nunes, que defende o fim do ensino público e inclusão de todos os alunos no ensino particular.

O DEM alojou políticos como Carlos Apolinário que já tentou barrar em São Paulo a parada gay. O PSC tem como inimigo dos gays o pastor Marco Feliciano, que classificou os sentimentos dos “homoafetivos” como “podridão” que leva a rejeição, crime e ódio.

Ele também afirmou que os africanos descendiam de ancestral que havia sido amaldiçoado por Noé, personagem bíblico. Em relação aos gays, o PPS diz lutar pelos direitos humanos.

O MBL

O movimento surgiu em 2014, sob a coordenação de Kim Kataguiri, Renato Santos e Fábio Ostermann. Segundo Kim, entre Impeachment da Dilma e combate a corrupção eles querem o impeachment da presidente, o vídeo está disponível no Youtube.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Lula Política

O movimento recebe apoio de políticos como Jair Bolsonaro, Marco Feliciano. Além de políticos suspeitos de corrupção na Petrobras, tais como: Aécio Neves (PSDB) e Agripino Maia (DEM), entre outros, além de apoio do pastor Silas Malafaia, e artistas como Alexandre Frota e Wanessa.

No auge das denúncias contra Eduardo Cunha, o grupo (junto com outros movimentos como o Revoltados Online e Vem Pra Rua) ovacionou o deputado no salão da Casa Verde em Brasília.

Cunha é suspeito de sonegação fiscal e envolvimento na Operação Lava Jato.

Apesar de planejar candidatos para as prefeituras, não existe no grupo consenso ou posicionamento em relação a assuntos como: aborto, casamento gay, criminalização da homofobia, redução da maioridade penal, legalização das drogas.

Quando questionados sobre a declaração de estupro feita por Bolsonaro contra Maria do Rosário, o grupo defendeu que Maria do Rosário havia feito acusações contra Jair.

Em uma entrevista, o coordenador do MBL disse que o relatório da Comissão da Verdade tem sido utilizado como um instrumento para a esquerda brasileira se vitimizar.

O mesmo cérebro do grupo (Kim) ganhou mais notoriedade quando tentou explicar as semelhanças entre mulheres feministas e um miojo, segundo ele “elas ficam prontas em três minutos e ‘são’ comida de universitário”.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo