Uma atitude polêmica de uma médica pediatra está causando uma grande discussão nas redes sociais e debate na sociedade brasileira em relação à postura de um profissional de saúde em relação a pacientes que não compartilham da mesma posição Política e ideológica.

O fato polêmico ocorreu há duas semanas, exatamente um dia após a nomeação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como Ministro Chefe da Casa Civil e também após a divulgação dos áudios entre a presidente Dilma Rousseff e Lula.

Neste dia, a pediatra Maria Dolores Bressan enviou uma mensagem de texto a Ariane Leitão informando que, a partir daquele dia não estaria mais atendendo seu filho de um ano por motivos particulares e oriundos da atitude de Lula, que segundo a pediatra, é o representante maior do PT.

Ariane Leitão é filiada do PT e já foi Secretária de Políticas Públicas do governador Tarso Genro

Atualmente Ariane Leitão é suplente na Câmara de Vereadores de Porto Alegre e já atuou como Secretária de Políticas Públicas do ex-governador também do PT Tarso Genro e fazia consultas com a pediatra Maria Dolores Bressan desde o nascimento do filho através de plano de saúde.

Pediatra alegou estar sem as mínimas condições de atender criança por estar de mau humor devido a deboche e escárnio de Lula

A pediatra enviou uma extensa mensagem de texto à mãe da criança alegando estar de mau humor com os acontecimentos da política brasileira. A pediatra também alegou na mensagem, que seu mau humor foi ocasionado pelo escárnio e deboche de Lula visto por ela ao vivo e a cores nos meios de comunicação.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Lula Política

“Depois de todos os acontecimentos da semana e culminando com o de ontem, onde houve deboche e escárnio de Lula (representante maior de teu partido) ao vivo e a cores, eu estou sem a mínima condição de ser pediatra de seu filho”.

A pediatra afirmou também que a honestidade sempre pautou sua vida profissional e particular e que não ia inventar desculpas para não atendê-la mais e que não podia de forma alguma passar por cima de seus princípios e que a cidade de Porto Alegre possuía muitos outros bons pediatras.

Após o ocorrido, Ariane denunciou o comportamento da pediatra ao Conselho Regional de Medicina do Rio Grande do Sul (Cremers) que informou que está estudando medidas legais contra a pediatra.

As medidas legais cabíveis são desde uma advertência confidencial até a cassação do exercício profissional conforme lei 3.268/57 que regulariza possíveis infrações éticas do exercício da medicina.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo