A revista Fortune realizou uma votação para saber quais são os líderes mais decepcionantes de todo mundo e a presidente do Brasil, Dilma Rousseff, ficou na primeira posição.

A petista que segue ameaçada pelo impeachment, que poderá tirá-la da presidência do país, recebeu tantos votos que chegou a ficar bem mais na frente do segundo colocando, o que acabou repercutindo em todo o mundo.

A votação promovida pela Fortune teve início no dia 30 de março e logo começou a receber votos de pessoas de todo o mundo. A revista já havia realizado uma reportagem onde a presidente do Brasil aparecia também como uma "líder decepcionante", entretanto nesta matéria ela estava ocupando a última posição.

A matéria da Fortune trouxe um pequeno texto dizendo que Dilma ficou presa por 21 anos durante o regime militar no Brasil e que superou muitas dificuldades até chegar ao cargo de presidente, mas que agora tem que enfrentar um Impeachment que tem recebido grande apoio da população.

Um dos principais motivos de querer tirar Dilma da presidência do país, de acordo com este texto da revista, é que a petista mascarou dados que apontavam o enorme déficit do país e que a recessão já havia se instalado.

E o texto trouxe o nome do ex-presidente Lula que foi indicado por Dilma para ser ministro da Casa Civil, mas acabou sendo impedido por suspeita de tal ato ser uma manobra para livrar o petista das investigações da Lava Jato.

Na votação promovida pela revista Fortune, Dilma já conta com mais de 70 mil votos e os números continuam subindo.

Os melhores vídeos do dia

Logo atrás dela está o governador norte-americano, Rick Snyder, acusado na investigação sobre a crise de água no município de Flint, onde foi detectada a presença de chumbo na água que era ingerida pela população.

Joseph Blatter, ex-presidente da Fifa, está na terceira posição juntamente com Michel Platini por causa da corrupção no futebol descoberta em no ano passado.

Vale ressaltar que recentemente a Fortune indicou o juiz Sérgio Moro, responsável pela Operação Lava Janto, como sendo um dos líderes mais influentes por causa do seu trabalho junto a esta investigação.