Apesar de haver algum caminho a ser percorrido no Senado para que haja um impeachment da presidente Dilma Rousseff, o vice-presidente Michel Temer continua pensando em sua possível presidência. No último fim de semana, o peemedebista teve duas reuniões para debater a economia atual e pensar em estratégias e nomes para sua provávelgestão.

Meirelles e Kassab

No sábado (23), o ex-presidente do Banco Central Henrique Meirelles se encontrou com Temer na residência oficial da vice-presidência, o Palácio do Jaburu, em Brasília.

Após o encontro, Meirelles conversou com alguns jornalistas e informou que a reunião com o peemedebista teria sido apenas sobre o diagnóstico atual da economia brasileira e que Temer teria inclusive evitado tocar em determinados assuntos justamente por aguardar a definição sobre o Impeachment no Senado Federal.

Apesar da declaração de Meirelles, informações indicam que ele teria sido convidado por Temer para compor a equipe econômica de um futuro governo ocupando o cargo de ministro da Fazenda.

O convite inclusive teria sido aceito, porém com a condição de que o economista tivesse total autonomia sobre as indicações para as funções mais importantes da economia, incluindo quem ocuparia as presidências de instituições como o Banco Central, a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil. Vale lembrar que Meirelles exerceu a função de presidente do Banco Central durante toda a Era Lula, de 2003 a 2011.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Lula Michel Temer

Outro nome de relevância no cenário político que participou da reunião foi o ex-prefeito de São Paulo Gilberto Kassab, que atualmente preside o PSD, partido ao qual o ex-presidente do Banco Central é filiado. Até o último dia 15 Kassab era o ministro das Cidades do governo Dilma Rousseff, mas pediu demissão do cargo pouco tempo após o PSD apoiar abertamente o impeachment e determinar que seus parlamentares votassem a favor do impedimento.

Na ocasião, alguns membros do governo consideraram que o ex-ministro traiu a presidente e teria feito jogo duplo enquanto esteve no ministério.

Além de Kassab e Meirelles, o senador Romero Jucá também esteve presente no encontro. Atualmente ele é o presidente nacional do PMDB, cargo que era do vice-presidente, e um dos principais interlocutores de Michel Temer para a composição de um eventual governo.

Skaf

Já no domingo (24) Temer recebeu o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e candidato a governador de São Paulo nas últimas eleições Paulo Skaf. Do mesmo modo que no encontro realizado no dia anterior, a intenção do vice-presidente seria discutir o cenário econômico brasileiro atual.

O empresário aproveitou o encontro para propor que o vice-presidente, caso assuma o poder, promova um ajuste fiscal sem que isso signifique aumento na tributação.

Em declaração após a reunião, Skaf afirmou que Temer concorda com a proposta de acertar as despesas do Governo sem que haja aumento de tributos e perda dos programas sociais. Uma das bandeiras da Fiesp é a campanha contra a excessiva carga tributária brasileira intitulada “Chega de pagar o pato”, cujo símbolo é um pato amarelo inflável que também é uma das marcas mais conhecidas das manifestações pró-impeachment.

Em declarações recentes, Skaf afirmou que a única solução para que a situação econômica do país melhore seria trocar o governo. Segundo ele, que estaria cotado para assumir um ministério no provável governo Temer, essa medida seria essencial para que os investidores retomassem a confiança no País. Sob sua gestão, a Fiesp tem apoiado abertamente o impeachment da presidente Dilma e se envolveu em polêmicas quando forneceu alimentação para alguns manifestantes a favor do impeachment que montaram acampamento em frente à sede da federação na Avenida Paulista. A Fiesp também tem sido questionada a respeito dos gastos com campanhas publicitárias pró-impeachment, já que parte dos recursos que mantêm a entidade são públicos.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo