Questionado pela imprensa sobre a possibilidade da antecipação das eleições presidenciais de 2018, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), se mostrou favorável e aberto à proposta. A ideia seria formatar um processo de eleições gerais, que incluiria também a eleição para a presidência da Câmara e do Senado. 

A pauta surgiu a partir de uma ideia sugerida na tribuna do Senado na segunda-feira (4) pelo senador Valdir Raupp (PMDB - RO). Em sua fala, ele sugeriu que as eleições gerais fossem realizadas ainda esse ano, em outubro, casadas com as eleições municipais, que devem transcorrer normalmente em 2016. Para Raupp, a proposta seria uma alternativa ao turbulento processo de Impeachment da presidente Dilma Rousseff que tramita na Câmara.

"Vejo com bons olhos essa questão das eleições gerais. Nós não podemos nos permitir fechar portas ou deixar de debater alternativas. Nem a de fazer eleição geral, nem a de revisar o governo, até identificarmos o que se tem de melhor no parlamentarismo e no presidencialismo", avaliou Calheiros.

A proposta de Raupp, aprovada por Renan, vai na mesma linha da posição de Marina Silva, líder da Rede Sustentabilidade. Nesta terça-feira, ela e o seu partido lançaram uma campanha pedindo o afastamento da chapa formada por Dilma Rousseff e Michel Temer. Marina gostaria que o TSE agilizasse as investigações sobre supostas irregularidades na campanha petista de 2014 e que, se caso comprovadas, cassasse a chapa - possibilitando, assim, a antecipação das eleições presidenciais.