Michel Temer não aguentou a pressão e voltou atrás em sua decisão de acabar com o Ministério da Cultura. Nas redes sociais. principalmente, vários famosos postaram mensagens criticando a atitude do novo presidente. Também durante a realização de show, vários músicos e cantores protestaram pelo fim do ministério e a pressão vinha sendo grande.

O presidente interino resolveu, então, recuar e recriar a pasta. A decisão foi tomada neste sábado (21), entretanto, somente será comunicada na segunda-feira (23), mas o vazamento de notícia já serve de alívio, uma vez que os "famosos" irão se acalmar e os protestos cessarão.

Michel Temer tem feito de tudo para ganhar apoio de todos os setores, seja dos partidos adversários, sindicatos e claro, quer o apoio também dos famosos, pois sabe que eles são formadores de opinião.

As críticas feitas ao governo de Michel Temer, partindo de famosos que têm milhões de fãs, não estavam sendo nada positivas para a imagem do peemedebista, que já tem problemas de sobra para resolver. O problema é que o órgão tem hoje um rombo que chega perto dos R$ 250 milhões. Vai ser preciso que o presidente negocie com Henrique Meirelles uma solução, sem que seja a criação de parcelas, para ir saldando a dívida.

O Governo já anunciou que tem um déficit orçamentário que passa dos R$ 170 bilhões e cortar gastos é, hoje, uma prioridade do novo presidente. Enxugar a máquina pública é primordial e o corte de ministérios era indispensável, só que os famosos não ficaram nem um pouco satisfeitos de saberem que o Ministério da Cultura estava entre os que foram extintos.

Temer devolve à Cultura o antigo status de ministério, para atender de forma especial a classe artística.

O que todos esperam agora é que este Ministério seja gerido por pessoas competentes que busquem, acima de tudo, a eficiência, assim como os demais ministérios, para que o corte de gastos continue sendo uma realidade neste novo governo.

Agora que o Ministério da Cultura está de volta, resta saber se o presidente poderá contar com o apoio da classe artística. Será?

Siga a página Michel Temer
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!