Anúncio
Anúncio

De acordo com informações do site WikiLeaks a organização sem finalidades lucrativas com sede na Suécia, publicou em sua página na internet um documento com informações referente aos meses de janeiro a julho de 2006, onde o então deputado federal Michel Temer (PMDB) teria enviado um relatório para o Conselho de Segurança Nacional dos EUA e ao Comando do Sul, em Miami, falando a respeito das futuras eleições que seriam realizadas naquela época.

De acordo com as informações, Michel Temer teria reunido-se pelo menos duas vezes com representantes da embaixada dos Estados Unidos no Brasil para debater a respeito da atual situação política que o país enfrentava, as informações foram divulgadas no último dia 13.

Anúncio

Na época, Temer acreditava que a reeleição do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva demonstrava uma enorme satisfação popular, mesmo seu governo tendo sido decepcionante. Tais razões levaram o então presidente do (PMDB) a avaliar a hipótese de seu partido lançar um candidato para concorrer as eleições presidenciais daquele ano. Temer também chegou a cogitar uma parceira do (PMDB) com o (PT), caso não fosse viável lançar uma candidatura do (PMDB). Tais declarações foram encontradas nos arquivos do Departamento de Estado dos Estados Unidos, a data do arquivo refere-se ao dia de 10 de janeiro de 2006.

Após a descoberta, o site intitulou Temer como um "informante dos serviços secretos dos Estados Unidos''.

Anúncio
Os melhores vídeos do dia

De acordo com as informações encontradas nos arquivos, naquela época Temer havia criticado o ex- presidente Lula por ter uma "visão restrita" e "por financiar os programas sociais que não contribuem em nada com o crescimento da economia brasileira''. Em uma das reuniões com os diplomatas americanos, Temer disse acreditar que os ''líderes do partido dos trabalhadores estariam desviando o dinheiro público, não apenas para seu crescimento pessoal, mas para aumentar o poder do (PT)''.

Em outra reunião diplomática datada em 22 de junho de 2006, o cônsul americano Christopher McMullen foi nomeado para ser o interlocutor de Temer em algumas reuniões. Um relatório do cônsul Christopher McMullen na época faz duras críticas ao PMDB de Temer.

Anúncio

"O maior problema do PMDB é que o partido não possui nenhuma ideologia a qual lhe permita desenvolver e aplicar uma política coerente", descreve McMullen, ao avaliar o partido como "um partido formado por políticos oportunistas".

Temer, assumiu no ultimo dia 12, após o Senado ter aprovado o processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff, mesmo assim o país ainda enfrenta uma grave crise política devido ao esquema de corrupção divulgado há dois anos atrás. O processo investiga inúmeros políticos ligados a diversos partidos, como PT, PMDB e PSDB. Apesar das inúmeras denúncias de corrupção, a presidenta afastada Dilma Rousseff ainda não está entre os investigados e alega ser vítima de golpe, além de intitular Temer como traidor.