O ex-senador e ex-líder do goveno no Senado, Delcídio do Amaral, polemizou e fez uma afirmação que pode comprometer governos anteriores ao governo Lula. Delcídio afirmou que a Corrupção na Petrobras sempre existiu, desde os governos de Itamar, Fernando Henrique Cardoso e anteriores. Segundo ele, a corrupção na maior estatal do Brasil sempre existiu, mas nunca foi sistematizada.

“Esse processo de corrupção sempre existiu e foi crescendo.

A diferença do governo do PT é que houve uma sistematização entre as diretorias e as ações partidárias, que foi muito mais ampla e concatenada nas bases do governo Lula e no governo Dilma. E agora, deu no que deu.”

Governos anteriores não chegavam aos detalhes de indicação de gerentes e chefes

Delcídio do Amaral quis explicar a diferença da corrupção que existia antes de Lula e a que existiu após Lula assumir o poder em 2002.

Para Delcídio, os governos anteriores não entravam em detalhes e pormenores dos gerentes e chefes que comandariam a maior estatal do país.

Após 2002, esse cenário mudou e os cargos de gerência e chefia passaram a ser escolhidos diretamente pelo presidente da República.

“Antigamente os diretores ajustavam suas equipes e não tinha essa de colocar em todos os cargos pessoas ligados ao partido”.

Lula e Dilma sabiam de tudo

Perguntado se o ex-presidente Lula e a presidente afastada Dilma Rousseff sabiam do esquema de corrupção na Petrobras, Delcídio disse que sim.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Lula Corrupção

Para o ex-senador, a argumentação de que Lula não sabia de nada o que acontecia e que Dilma recebeu um parecer falho sobre a refinaria de Pasadena é uma grande idiotice.

“Tenha paciência, achar que os dois não sabiam é achar que todo mundo é idiota e ignorante. A Petrobras sempre foi do presidente”.

Segundo depoimento de Dilma, (que na época da aquisição da usina de Pasadena comandava o conselho da Petrobras) houve uma falha na diretoria internacional no momento de chancelar o negócio.

A aquisição de Pasadena gerou um prejuízo de R$ 800 milhões a Petrobras, segundo dados do Tribunal de Contas da União.

“Em grandes estatais não existe a possibilidade de apresentar um parecer incompleto para a diretoria ou para o conselho de administração”.

Perguntado se Dilma mentiu sobre a usina de Pasadena, Delcídio afirmou categoricamente:

“Absolutamente, em nenhum momento Dilma assumiu a responsabilidade pelos negócios que cabiam a ela”.

Delcídio do Amaral fez acordo de delação premiada e está colaborando com as investigações da Operação Lava Jato.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo