O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, deu início, nessa terça-feira (3), à entrega dospedidos de inquéritos contra políticos implicados por Delcídio do Amaral.

Estão incluídos na lista de investigação a Presidente Dilma Rousseff, Edinho Silva (Ministro da Comunicação Social), José Eduardo Cardozo (Advocacia Geral da União), Eduardo Cunha (presidente da Câmara - PMDB-RJ), o senador Aécio Neves (PSDB-MG), o deputado Marcos Maia (PT-RS), e o Ministro do TCU (Tribunal de Contas da União), Vital do Rego.

Todos têm foros privilegiados, pois são congressistas e ministros.

Também estão incluídos na lista, o ex-presidente Luiz Inácio da Silva Lula, o presidente do Senado Renan Calheiros (PMDB-AL) e outros peemedebistas já citados em outros inquéritos.

Dilma, Lula e Cardozo são suspeitos de tentar interferir nas investigações da Lava Jato.

Em delação, Delcídio confirmou que Aloízio Mercadante (ministro da Educação), procurou seus assessores com o objetivo de que não fechassem nenhum acordo com as autoridades e ainda ofereceu ajuda financeira ao senador para pagamento de advogados e que intercederia por ele junto ao presidente do STF, Ricardo Lewandowski.

Aécio é alvo de dois pedidos de investigação: um em relação ao esquema de Corrupção na Hidrelétrica de Furnas, onde teria sido beneficiado, e o outro por interferir na CPI dos Correios, em 2005, maquiando os dados do Banco Rural. A CPI era comandada por Delcídio e ficou conhecido como Mensalão.

Eduardo Cunha, presidente da Câmara dos Deputados, que já era réu da Lava Jato, é citado por Delcídio por estar ligado à Diretoria de Furnas e receber propina.

Quanto a Renan Calheiros, presidente do Senado, Delcídio o citou como beneficiário de um esquema de desvio de dinheiro da Petrobras.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Lula Corrupção

A procuradoria quer apurar se o senador cometeu crime de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Delcídio relata que Edinho da Silva o orientou a receber, via caixa dois, pagamentos de dívidas de campanha por meio de um Laboratório Farmacêutico, o que não acabou acontecendo.

Outro petista que pode virar alvo de investigação é o deputado Marcos Maia, acusado de cobrar propina para evitar depoimento de empreiteiras na CPI da Petrobrás.

Todos os envolvidos negam as acusações e questionam a credibilidade de Delcídio do Amaral.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo