O cenário político brasileiro continuavivendo episódiosde grande perturbação.Os últimos áudios gravados mostram um grande assédio dos políticos pelos ministros do Supremo Tribunal Federal. As gravações que envolveram o senador Romero Jucá (PMDB-RR), o ex-presidente José Sarney e o presidente do Senado Renan Calheiros (PMDB-AL) mostram uma tentativa de planos com ministros do STF para frear a Operação Lava Jato, o que envolveria também a saída de Dilma Rousseffdo cargo da presidência.

As gravações estão levando o Supremo para uma possível crise e dúvidas surgem sobre a blindagem da Corte diante das investidas dos políticos investigados pela Operação Lava Jato. Nas conversas entre Machado e Renan, o presidente do Senado comenta em negociar a transição com os ministros do Supremo e ressalta que os ministros não estão a fim de falar com Dilma, pois estão revoltados com ela.

Outra "escuta" quecomplica a situação da Corte é um diálogo entre Machado e Jucá.

Machado, nas gravações, fala para Jucá que conversou com alguns ministros do STF e eles foram enfáticos em dizer que só teriam condições de fazer alguma coisa depois da imprensa se afastar, após desse momento de grande repercussão coma saída de Dilma. Um grande acordo nacional poderia ser feito com o Supremo, afirmou Machado.

Defesa da Corte

O ministro Luís Roberto Barroso afirmou em entrevista que ninguém pode influenciar o Supremo.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Lava Jato Corrupção

Isso é algo impensável, disse o ministro. "Pedir audiência, todos têm acesso, mas intervir dificilmente acontece",essa é a regra geral do Supremo Tribunal Federal, terminou Barroso.

Sob suspeita

A professora de direito da UFRJ e coordenadora do Observatório de Justiça Brasileira, Margarida Lacombe Camargo, possui uma visão obscura sobre o fato. De acordo com a professora, os poderes Legislativo eExecutivo estão sob suspeita, podendo ocorrer até o afastamento do cargo das pessoas envolvidas a qualquer momento.

Segundo Lacombe Camargo, o povo se tornou refém do Judiciário, que tem a noção exata de todos os perigos que está correndo.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo