Numa sessão que foi iniciada nesta última quarta-feira, dia 12, por volta da 10 horas e se estendeu por mais de 12 horas, os integrantes do Senado decidiram por um placar de 55 votos a favor e 22 contra, pela abertura do processo de impeachment contra Dilma Rousseff. O resultado, que só foi votado por volta das 6h30min desta quinta-feira, confirmou o afastamento da presidente por até 180 dias. Diante do fato, o vice presidente, Michel Temer, deverá assumir o posto imediatamente.

Depois da alternância das falas dos senadores, seguiu-se o processo de votação que se deu por meio eletrônico. Ao final, o resultado foi mostrado no painel de votação em pleno Senado. Abstiveram-se de votar, o presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL), os senadores Jader Barbalho (PMDB-PA) e Eduardo Braga (PMDB-AM), pois estavam de licença médica.

Mesmo afastada, Dilma terá direito a residir no Palácio do Planalto, assistência médica, transporte aéreo e terrestre, segurança pessoal, remuneração inerente ao cargo e a uma equipe de funcionários que farão parte de um gabinete pessoal destinado à mesma.

Para que Dilma seja definitivamente afastada serão necessários os votos de 54 dos 81 senadores, ou seja, dois terços. Este julgamento ainda não tem data prevista para acontecer.

Após o resultado da extensa sessão, que decidiu pela abertura do Impeachment, o presidente nacional do PSDB, o senador Aécio Neves manifestou-se sobre o fato. Segundo o mesmo, o vice, Michel Temer, terá uma chance única de tentar  consertar os estragos deixados pelo Governo de Dilma.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Lula Governo

Ele reiterou que o mesmo poderá contar com o apoio do seu partido para tal feito. Aécio aproveitou a fala para declarar que o novo presidente contará também com o apoio da sociedade brasileira.

Ao contrário de Aécio, o senador Humberto Costa (PT-PE), declarou que a primeira ação do seu partido será assumir uma postura oposicionista a Temer e a ampla defesa do programa de governo petista. O parlamentar não descartou a possibilidade de se entrar com algum tipo de recurso junto ao STF contra a decisão do Senado.

Ele voltou a se referir às políticas públicas implantadas durante a gestão do seu partido, o que certamente levou o país avançar rumo ao crescimento e pelas quais serão lembrados pela população brasileira, os governos de Lula e Dilma.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo