Diante da decisão de saída do Reino Unidoda União Europeia,o atual presidente do Brasil,Michel Temer,indicou HenriqueMeirelles (ministro da Fazenda) para verificar junto a Alexander Ellis (embaixador britânico), sobre os prováveis efeitos que o rompimento poderá causar ao Brasil. A reunião estava marcada para esta sexta-feira,24, às 17h30.

Temer falou, que com relação ao plebiscito realizado no dia 23 de junho no Reino Unido, o Brasil não pode intervir, nem se manifestar, pois se trata de questões de interesse pessoal do país em questão.

No encontro entre as autoridades, a conversa não girará somente em torno do desligamento do Reino Unido da União Europeia, mas serão estabelecidos outros diálogos.

Em depoimento à"Rádio Estadão", as palavras do presidente Temerreferiram-se à necessidade de uma análise, na questão ligada ao Brasil, e se o mesmo poderá ser atingido em sua área econômica. O ministro Meirelles irá avaliar junto com o embaixador britânico sobre esses aspectos e se haverá algum risco para o país.

O efeito

É preciso aguardar os acontecimentos e o ajuste que serão feitos,só depois dos acertos é que o Brasil poderá avaliar os efeitos que a decisão do Reino Unido trará para o país. Com relação aos fatores de ordem política, não irão se intrometer, disse Temer.

Segundo ele, a Venezuela não seguiu o mesmo critério e tentou interferir nos assuntos nacionais do Brasil - disseram que aqui “ocorria um golpe“.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Governo

Para Temer, o Governo brasileiro tem ciência e consciência dos povos. O Brasil não se mete nas decisões dos outros países, e com relação à Venezuela, o Itamaraty deu a resposta necessária. Sobre o Mercosul, o presidente falou que José Serra (ministro das Relações Exteriores) disse que é necessário rever as intenções com o bloco (países que fazem parte), mas que sabem da sua importância junto ao livre comércio.

Michel Temer falou que estão analisando uma negociação com a União Europeia e que para o Brasil não é fácil fazer um acordo, devido ao Mercado Comum do Sul (Mercosul). Para ele, é preciso reavaliar o mercado, não para acabar com ele, mas direcioná-lo em relação aos outros países, principalmente, em se tratando dos acordos existentes entre eles.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo