A Comissão Especial do Impeachment do Senado começa a ouvir as testemunhas de acusação nesta quarta-feira (8). Hoje também serão ouvidas três testemunhas indicadas por senadores que apoiam o impeachment: Adriano Pereira de Paula, Otávio de Medeiros e Rogério Jesus Alves de Oliveira, da Secretaria do Tesouro Nacional.

O presidente do Supremo não fará mudanças de última hora, e já decidiu sobre os pontos de impasse. A reunião de hoje começa com as decisões do Supremo valendo.

Publicidade
Publicidade

O senador Aloysio Nunes (PSDB) solicitou que a quantidade de testemunhas da defesa fosse limitada a 16 pessoas, porém o pedido foi recusado, e Dilma terá direito a ter até 48 testemunhas.

Regras da Comissão 

De acordo com as regras publicadas na segunda-feira (6) pela comissão, as perguntas serão realizadas na seguinte ordem: relator, senadores inscritos, denunciantes e por último a defesa. Estão presentes na comissão José Eduardo Cardoso, que fará a defesa de Dilma, e Janaina Paschoal, da parte dos denunciantes.

Publicidade

Cada inquiridor poderá fazer perguntas as testemunhas por até três minutos sobre o assunto para o qual foram chamados para depor. As testemunhas de hoje terão até dois minutos para responderem as perguntas.

Segundo as regras, havendo necessidade, poderá ser realizada a réplica para esclarecimento da resposta que a testemunha deu ao autor da pergunta, que terá dois minutos, sem direito a fazer nova pergunta durante a fala. Também foi decidido que não poderá haver inscrição para uso da palavra na qualidade de líder.

As regras foram definidas pelo relator e o presidente da comissão, porém devem ser submetidas a todos que fazem parte do colegiado.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Lula

Cronograma

Até o dia 17 de junho devem ser realizadas as oitivas, porém essa data poderá ser estendida se houver necessidade, de acordo com o que declarou o senador Antônio Anastasia (PSDB-MG).

A previsão é que o julgamento final do Senado, que decidirá se Dilma perderá definitivamente o cargo de presidente da República, ocorra até o final do mês de agosto.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo