João Vaccari Neto, ex-tesoureiro do PT, resolveuquebrar o silêncio após mais de um ano preso. Ele é réu no caso Bancoop onde é acusado de desviar mais de R$ 70 milhões.

Detidodesde 15 de abril de 2015, na 12° fase da Operação Lava Jato, e condenado a mais de 24 anos de prisão pelos crimes de associação criminosa, Corrupção passiva e lavagem de dinheiro, e com mais quatro condenações a caminho, Vaccari tem em mãos provas e documentos que podem decidir o futuro da presidente afastadaDilma Rousseff.

Familiares de Vaccari andaramsondando advogados especialistas no assunto e, em algumas conversas, foi discutido até o teor do que poderia ser revelado por ele nos depoimentos. Um dos temas que interessamaos procuradores é sobre a campanha eleitoral de 2014 feita por Dilma Rousseff. O ex-tesoureiro, que sempre teve ligações com o ex-presidente Lula, conhece bem a alma do PT.

Preocupação

A alta cúpula do PT recebeu há duas semanas a notícia de uma possível delação de Vaccari com muita surpresa que se transformou em preocupação logo em seguida.

A pergunta é: até onde Vaccari pode chegar? A busca por respostas foi feita por uma comitiva despachada para Curitiba à mando do partido.

Na missão de descobrir tal fato, ficou encarregado Afonso Florence, líder do partido na Câmara, acompanhado por Ângelo Vanhoni, ex-deputado paranaense. Ainda não se sabe como os dois conseguiram driblar a segurança do Complexo Médico-Penal de Pinhais e ter uma conversa longa com o ex-tesoureiro.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Lava Jato Corrupção

Magoado com a alta cúpula do partido por ter sido abandonado na prisão, Vaccari confirmou que quebrará o silêncio.

De volta à Brasília, Afonso foi imediatamente ao encontro de Paulo Rocha, líder do PT no Senado, e repassou toda a conversa que teve com João. Segundo Florence, a delação de Vaccari "será uma explosão controlada".

Florence explicou para Rochaque o depoimento poderá arruinar o mandato do presidente interino Michel Temer, pois o depoimento será baseado na chapa eleita em 2014, ao qual peemedebista também fez parte.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo