A Operação Lava Jato decretou mais uma prisão preventiva, dessa vez quem foi detido foi o ex-ministro Paulo Bernardo nessa quinta-feira, o marido da senadora Gleisi Hoffmann foi preso em um apartamento em Brasília. A sede do PT em São Paulo também foi alvos de buscas e apreensões.

Prisão do ex-ministro

Paulo Bernado foi detido por um provável envolvimento em crime de Corrupção, a defesa do marido de Gleisi rebateu as acusações dizendo que o ex-ministro sempre se colocou à disposição de todas as autoridades, para que o caso fosse resolvido da maneira mais rápida possível.

No entanto, toda essa predisposição da parte do ex-ministro não foi o suficiente para suprimir uma possível prisão preventiva, algo que acabou acontecendo.

O casal é acusado de ter desviado dinheiro da Petrobras, esse mesmo dinheiro teria sido usado para financiar a campanha de Gleisi nas campanhas eleitorais de 2010. A Polícia Federal afirmou que há provas de que a parlamentar recebeu 1 milhão em propina.

Quem se manifestou para rebater as acusações foi a assessoria, que fala tanto pelo ex-ministro quanto pela senadora, disseram que há evidências no próprio inquérito que provam que o casal jamais recebeu qualquer quantia de dinheiro ilegal para financiar as eleições. Ainda na nota divulgada, a assessoria vai além dizendo que as acusações feitas pelos delatores são completamente contraditórias, e por isso seus depoimentos não devem ser levados em consideração.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Lava Jato Corrupção

A Delação foi feita por Alberto Yossef, o doleiro garantiu em seus depoimentos que Gleisi recebeu propina, e que o marido dela, Paulo Bernardo, teria pedido ajuda financeira para campanha de sua mulher. Quando Gleisi e Paulo foram prestar depoimentos em abril de 2015, esclareceram que não houve qualquer tipo de irregularidade na arrecadação da campanha eleitoral de 2010.

Até o momento a senadora Gleisi não se pronunciou sobre a prisão de seu marido, deixado apenas a assessoria divulgar uma nota de esclarecimentos.

Paulo Bernardo foi ministro nos governos petistas, tanto no mandato de Lula, quanto no mandato de Dilma.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo