Nesta última terça-feira (21), o ministro da Justiça, Alexandre Moraes, do governo interino de Michel Temer, se encontrou com o ilustre juiz federal Sérgio Moro. O objetivo do encontro foi enfatizar o "total apoio concreto" ao juiz que se tornou símbolo das investigações da Lava Jato, por ter conseguido prender nomes poderosos da sociedade, envolvendo doleiros, empreiteiros, ex-dirigentes da Petrobras e políticos.

Em controvérsia com os dizeres de aliados ao governo da presidente afastada Dilma Rousseff, que afirmavam que o governo de Temer iria prejudicar o andamento da operação Lava Jato, e tentaram passar a imagem de Moraes como "algoz" da investigação, o ministro da Justiça firmou o compromisso comparecendo em uma visita à"República de Curitiba". Este encontro também contou com a presença do diretor-Geral da Polícia Federal, Leandro Doiello, o superintendente no Paraná da Polícia Federal, Rosalvo Ferreira Franco e o chefe da operação Lava Jato em Curitiba, Igor Romário de Paula. 

Desde que o ministro assumiu, ele enfatiza o total apoio do Ministério da Justiça com a Lava Jato, classificando como um "símbolo" e elogiando o trabalho do juiz Moro.

Polícia Federal e Rio 2016

No encontro de Alexandre Moraes na "República de Curitiba", o ministro deixou claro ao juiz Moro e à força-tarefa da Lava Jato, dizendo que “se houver necessidade de mais peritos, policiais, infraestrutura é só solicitar que o Ministério da Justiça irá imediatamente colocar à disposição”, ele validou dizendo que, nas Olimpíadas serão necessários muitos polícias para dar segurança à população, porém, isso não irá prejudicar a operação Lava Jato, que sempre que precisar, terá policiais a sua disposição. 

O ministro da Justiça já foi criticado por membros do Ministério Público e da Polícia Federal, logo após sua posse, no mês de maio.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Lava Jato Corrupção

O presidente da Associação Nacional dos Delegados Federais, demonstrou certa preocupação com a nomeação de alguns ministros do governo de Temer, que, por serem pessoas influentes, poderiam encerrar os trabalhos da Lava Jato. 

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo