Com a iminente cassação, ou renúncia da presidência da Câmara, de Eduardo Cunha (PMDB-RJ), o mandato tampão até o dia 2 de fevereiro do próximo ano aguça o imaginário de muitos deputados. Caso se confirme mesmo a saída de Cunha, a nova eleição seria feita cinco dias depois.

Com a vaga de presidente aberta até o fim do atual mandato, qualquer deputado pode concorrer, e alguns deles já tomaram a dianteira e pedem voto as claras no dia a dia da Câmara, são eles:Beto Mansur (PRB-SP),Rogério Rosso (PSD-DF),Heráclito Fortes (PSB-PI),Carlos Manato (SD-ES),Fernando Giacobo (PR-PR),Julio Delgado (PSB-MG),Milton Monti (PR-SP) eRodrigo Maia (DEM-RJ).

Alguns desses nomes já são velhos conhecidos entre os deputados e do grande público. Beto Mansur, 1º vice-presidente, por exemplo, já foi acusado de se utilizar de trabalho escravo em sua fazenda, onde o Ministério do Trabalho encontrou 22 pessoas em regime análogo ao de escravidão. Ele também é acusado de pagar mais de R$ 100 mil a um escritório de advocacia para copiar pareceres da internet.

Rogério Rosso é visto com bons olhos pelo Centrão da Câmara e até pelo Planalto.

Aliado de Cunha, o deputado é o líder da bancada do PSD e foi o presidente da Comissão Especial do Impeachment na Casa.

Fernando Giacobo é outro integrante na mesa diretora, 2º vice-presidente da Câmara, que já se envolveu com escândalos policiais. Em 2009, o deputado foi investigado por sequestro e cárcere privado, porém, pouco depois da abertura das investigações, o autor da denúncia resolveu retirar a acusação.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Política

Júlio Delgado talvez seja o rival mais ferrenho de Eduardo Cunha. O deputado do PSB disputou com o peemedebista a presidência da Câmara no ano passado, mas foi derrotado, e desde então faz oposição frontal a todas as propostas de Eduardo Cunha. Ele foi acusado de receber dinheiro da construtora UTC durante as investigações da Lava Jato, mas a PGR pediu o arquivamento do inquérito contra ele.

Heráclito Forte é figurinha repetida na Câmara, um dos deputados mais antigos, eleito pela primeira vez para a Casa em 1982, Fortes já foi condenado pelo STF por "promoção pessoal com verba pública".

Carlos Manato é o corregedor da Câmara, e acostumado a julgar os outros deputados, porém, recebeu financiamento de empreiteiras ligadas a Lava Jato.

Milton Monti ainda está iniciando o processo de pedir votos, segundo informa o Congresso em Foco. O portal disse que Monti começou a pedir votos aos outros parlamentares apenas na última segunda-feira (5).

Rodrigo Maia desejava ser o líder o governo Temer na Câmara, mas como teve essa perspectiva frustrada, imagina que sentar na cadeira de presidente, mesmo que de forma temporária, pode lhe fazer muito bem.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo