Renan Calheiros (PMDB-AL), presidente do Senado Federal, informou que não sabe ainda se votará no julgamento da presidente Dilma Rousseff. Ele classifica o processo de Impeachment como "cansativo" e para ele o primeiro dia do julgamento foi bastante "conturbado".

Renan diz que é o regimento do Senado que resolve este caso. O presidente do Senado só vota quando ocorre empate. Na situação de julgamento, o presidente fica facultado à votar ou não.

Ele relata que ainda não decidiu sobre esta questão e está em fase de decisão.

Renan Calheiros informa que, mesmo que já tivesse se decidido sobre o seu voto, não seria uma atitude prudente em se antecipar. Pois o fato de ser presidente do Senado, tem a responsabilidade de agir com imparcialidade, sobretudo com equilíbrio e responsabilidade.

O processo é conduzido pelo presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski, portanto, Renan apenas acompanha o processo.

Acompanhando o início sessão, assim como o depoimento das testemunhas que foram indicados para acusação, ele percebeu que, houve muita disputa Política entre os senadores contra e favor a Dilma Rousseff.

Segundo ele, caso essas disputas políticas continuem não irá acrescentar nada relevante ao processo. Ele pediu mais objetividade por parte de todos, tanto quem pergunta, quanto quem responde. Ele diz ainda que o primeiro dia é sempre o mais tenso e espera que os próximos dias sejam como ele pensa ser, mais tranquilo.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia Lula

Ao ser questionado pela duração do julgamento de impeachment, se vai passar de terça feita, dia 30, ou não, Renan optou em não entrar em detalhes. Sua estimativa é que, o processo possa ter uma tempo reduzido por motivo do cansaço que os parlamentares sofreram como todo julgamento do impeachment.

Renan afirma ainda que, o que aconteceu no segundo depoimento, pessoas desistiram de interrogar o Antônio Carlos Costa, auditor de fiscalização do TCU, por conta do cansaço, é o que poderá acontecer daqui para frente.

O impeachment é um processo longo e ele salienta que já são nove meses de duração do mesmo processo desde quando começou na câmara. Todos já estão cansados.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo