Nesta quarta-feira (14), foi formalizada a denúncia contra o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva, sua esposa Marisa Letícia, o ex-presidente da OAS Léo Pinheiro, o presidente do Instituto Lula Paulo Okamotto e outros 4 investigados. São acusados pela Operação Lava Jato de Corrupção e lavagem de dinheiro.

Além de estar sendo considerado o grande chefe do Petrolão, também o apartamento triplex no Guarujá é objeto da denúncia, caso pelo qual a Polícia Federal já havia indiciado Lula, Marisa, Léo Pinheiro e um engenheiro da obra.

Relembre o caso

O Edifício Solaris, onde se localiza o triplex, foi construído pela Cooperativa Habitacional do Sindicato dos Bancários (Bancoop), cujo presidente era o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, preso em abril de 2015. O famoso apartamento foi comprado pela OAS, que empreitou uma reforma. Segundo as investigações, Lula e Marisa seriam os proprietários do imóvel e teriam recebido benefícios desta, que é uma das principais empresas envolvidas no esquema de corrupção da Petrobras e que fazia parte do cartel das propinas e fraudes nas licitações.

Lula sempre negou ser dono do apartamento e chegou a declarar que não havia se interessado pela compra porque era muito pequeno: "É um triplex Minha Casa Minha Vida", disse ele, debochando do programa habitacional popular do próprio governo.

Na tentativa de explicar a questão da propriedade do triplex, Lula e Marisa Letícia contaram ter adquirido uma cota na construção do prédio, mas depois desistiram da compra.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Lava Jato Lula

O comandante máximo do esquema

O procurador federal Deltan Dallagnol, que coordena a força-tarefa da Lava Jato, declarou que o Ministério Público Federal possui provas suficientes de que Lula era o "comandante máximo do esquema de corrupção identificado na Lava Jato".

Somente em propinas o ex-presidente teria recebido quase quatro milhões de reais, mas o esquema como um todo envolve o montante de R$ 6,2 bilhões.

Estima-se que o prejuízo causado à estatal passa dos 40 bilhões de reais.

O esquema, de acordo com o que foi apurado nas investigações, envolveu também outras estatais, dois ministérios e a Caixa Federal. O objetivo do que Dallagnol chamou de "propinocracia", era a perpetuação do PT no poder e só quem aceitasse participar poderia ter cargos na Petrobras.

A denúncia, que tem mais de 270 tópicos, acusa Lula de corrupção ativa, corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo