O atual presidente da República Brasileira, Michel Temer, declarou nesta sexta-feira, dia 02, que a decisão tomada pelo Senado, permitindo que Dilma continuasse a ocupar normalmente cargos públicos mesmo após o impeachment, agora se torna responsabilidade da Justiça, e não mais da política. Tal afirmação foi feita em Xangai, onde compareceu em encontro formado por empresários brasileiros e chineses. Temer participará, a partir deste domingo, da grande reunião do G20, realizada na #China.

Para quem ainda está perdido, o Senado proferiu uma decisão, nada comum, na quarta-feira, dia 31 de agosto, em separar a votação que determinaria a perda do cargo de presidente de Dilma e o direito de permanecer exercendo cargos públicos.

Tal decisão fez com que parlamentares que estavam contra a ex-presidente, acionassem a Corte, Supremo Tribunal Federal. O presidente Temer não 'liga' neste momento se a decisão tomada pelo Senado, foi correta ou não.

Em uma entrevista que Temer concedeu para jornalistas que estavam seguindo a comitiva brasileira na cidade de Xangai, afirmou que o Senado já tomou sua decisão, independente se estiver certa ou errada. O questionamento agora é na esfera jurídica. Então ela passa a ser agora uma avaliação de natureza jurídica e não política.

De acordo com a agência Reuters, Temer declarou que o fato de Dilma estar ainda com direito de ocupar algum cargo público, acaba se tornando um 'pequeno' embaraço e que, tal ocorrência não afetaria em nada a gestão do seu governo.

Renan Calheiros, presidente do #Senado Federal, também viajou junto com equipe de Temer para China e foi bastante questionado sobre sua decisão que defendeu Dilma em relação à manutenção dos seus direitos para a continuidade nos cargos públicos.

Os melhores vídeos do dia

Apesar do senador Renan Calheiros ser um dos parlamentares que fazem parte da equipe de Temer, foi um dos que ficaram ao lado da ex-presidente para que ela permanecesse com tais direitos.

Renan afirmou que já há um processo deste no STF, em que os ministros ficaram bem divididos quanto ao assunto e aquele era o momento para que pudessem decidir sobre este tema. Disse ainda que, a decisão, além de ser correta, foi sem dúvidas, defensável. #Michel Temer