Preso na manhã desta quinta-feira (22) pela Polícia Federal, o ex-ministro Guido Mantega foi solto por determinação do juiz Sérgio Moro no início da tarde.

Eike Batista, que já foi o sétimo homem mais rico do mundo segundo a revista Forbes, prestou depoimento como testemunha à força-tarefa da Lava Jato e incriminou Mantega, com declarações sobre seu envolvimento no esquema de corrupção da Petrobras.

Qual o papel de Mantega nas transações?

De acordo com Eike, o ex-ministro teria pedido a ele R$ 5 milhões para quitar dívidas da campanha da primeira eleição de Dilma Rousseff.

Para lavar o dinheiro, proveniente de desvios da Petrobras, a quantia seria paga à empresa do então marqueteiro do PT João Santana e sua esposa Mônica Moura, presos pela Lava Jato. O empresário disse que houve a realização do serviço contratado, porém o valor do pagamento foi superfaturado em 50%. Mônica, que tenta um acordo de delação premiada, teria sido a responsável pela operação.

Operação Arquivo X

O título dado a esta fase da Lava Jato se refere às empresas de Eike Batista, que sempre colocava a letra X ao batizá-las.

A investigada no momento é a OSX, da área de construção naval. As investigações apuram fraudes na construção de dois navios-plataforma, chamados plataformas flutuantes, na Bacia de Santos.

Associada à empreiteira Mendes Junior, a OSX foi vitoriosa na licitação para a construção das duas plataformasque atuariam na extração de petróleo do pré-sal. O consórcio Integra Offshore, formado pelas duas empresas, não possuía experiência nem estrutura para a construção.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Lava Jato Corrupção

Mesmo assim, ganhou a concorrência e um contrato de 922 milhões de dólares. A força-tarefa da Lava Jato acredita que, para tanto, pagaram propina a agentes públicos e a políticos.

João Augusto Henriques, ligado à Diretoria Internacional da Petrobras e ao PMDB, já condenado pela Lava Jato, teria intermediado dois repasses em 2013, um de R$ 7 milhões e outro de R$ 6 milhões.

Sérgio Moro justificou a liberação de Guido Mantega, sob a alegação de que desconhecia a situação familiar pela qual o ex-ministro está passando.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo