Há quem diga que os políticos fazem de tudo para conseguir votos e conquistar o poder. Quem assistir a um vídeo protagonizado por um pastor evangélico vai achar que a tese é mais do que verdadeira. O vídeo foi filmado em Salvador, na época em que o pastor em questão estava em plena campanha eleitoral para conquistar a prefeitura da capital do estado mais festeiro do Brasil.

Conhecido do estado como Pastor Isidório, o candidato, que também é deputado, não venceu a eleição pelo PDT. Porém, ele garantiu o registro de situações hilárias que ficaram conhecidas. Algumas estão vindo à tona agora, praticamente um mês após o pleito, e continuam garantido boas risadas aos internautas. 

Nas imagens, o deputado e pastor está em uma de suas visitas para conquistar votos.

Ao se deparar com uma festa ao ar livre, chamada de paredão de som, ele não pensa duas vezes: vai para junto da galera. No momento a música executada em altíssimos decibéis era um hit das periferias e tem um refrão bastante sugestivo: ‘tá louca pra sentar na minha piroca’. A música é um sucesso da banda La Fúria.

No vídeo o religioso não se contenta em cumprimentar as pessoas que bebem e dançam enlouquecidamente. Ele sobe no carro de som e faz uma performance, rebolando no mais autêntico estilo ‘boquinha da garrafa’. E tudo isso segurando a bíblia em uma das mãos. Os participantes da folia vão ao delírio. O locutor do evento passa a cantar “o Senhor é meu pastor”. Depois de dançar animadamente, o candidato pastor desce do caminhão e vai abraçar os correligionários. Ele ainda faz questão de posar para fotos com os potenciais eleitores.

Os melhores vídeos do dia

Ao ver a repercussão que o vídeo causou, o deputado divulgou uma nota em que tenta esclarecer os fatos. No texto sua assessoria de imprensa explica que as imagens foram gravadas no último dia 2 de outubro, dia da eleição.

O pastor esclarece que que não conhece a canção e nem se lembra do refrão. Informa que dançou durante toda a campanha eleitoral e que sempre que jovens o convidam para estar junto deles, aceita de bom grado. Acha natural que a “mocidade” esteja tomando cerveja e dançando alegremente, mas pondera que isso acontece porque eles ainda não têm Jesus como seu Salvador.

A nota ainda afirma que tais jovens também são patrões do pastor, já que contribuem, por meio de impostos, para o seu salário. Por essa razão o candidato lhes deve respeito e consideração. Finaliza dizendo que é contra preconceitos e que tem um perfil popular.

Assista o Vídeo