O ex-presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, está "farejando" uma grande traição no meio político. Em conversas privadas, Lula demonstrou certeza e afirmou que o presidente do Brasil, Michel Temer, não irá concluir seu mandato por um motivo de traição. De acordo com Lula, o PSDB, hoje grande aliado do governo, possui planos de voltar com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso ao poder e para isso trairá o PMDB.

Ainda segundo o ex-presidente, serão feita eleição indireta com o apoio do Congresso e uma grande manobra será feita para FHC assumir a presidência.

O artigo 81 da Constituição define bem esse caso. Se houver vacância da Presidência nos últimos anos do mandato, far-se-á eleição indireta, comandada pelo Congresso Nacional.

Dilma Rousseff

Durante um almoço com a ex-presidente Dilma Rousseff, Lula explicou as suas previsões e disse que não demorará muito para Temer ser "derrubado' do cargo.

O ex-presidente deu o ano de 2017 para isso acontecer. Lula falou para Dilma que o tucanato vai agir de uma forma que a volta de FHC trará paz ao Brasil e será um antídoto contra a crise.

Após conversa com Lula, Dilma começou a encarar essa realidade e está divulgando, em diálogos também privados, essa possível traição tucana. Em tom irônico, Dilma disse que Michel Temer "provará do seu próprio veneno". Para a ex-presidente, em breve acontecerá no país um "golpe dentro do golpe".

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Lula Michel Temer

Declaração de Sarney

Essa conversa entre Lula e Dilma chegou aos ouvidos do ex-presidente José Sarney através de uma pessoa próxima da ex-presidente, que além de participar do seu ministério, esteve ao seu lado durante todo o processo de impeachment.

Ao ouvir essas informações de traição, José Sarney declarou: "O Fernando Henrique Cardoso não pensa em outra coisa".

Por enquanto, o presidente do Brasil está conseguindo manter seus aliados firmes para as prioridades do governo.

A volta de Renan para a Presidência do Senado é uma prova de que o governo ainda mantem a base aliada disposta a mudar a crise Política instalada no Brasil.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo