O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), decidiu agir energicamente contra as pichações na capital paulista. Em sua sessão inaugural da legislatura do ano de 2017, o prefeito da maior cidade do país, marcou a sessão, com uma verdadeira "guerra" declarada ao picho. Ultimamente, a prefeitura vem implementado várias ações de combate às pichações e além disso, o prefeito já restaurou diversos monumentos e símbolos do município que se encontravam deteriorados, muitos dos quais, devido à ação de pichadores.

Publicidade
Publicidade

Durante a sessão inaugura da legislatura paulistana, o prefeito foi enfático em aguardar que os vereadores da cidade aprovem uma multa pesada para os pichadores que forem flagrados danificando prédios públicos, embora o prefeito afirmasse que a "pauta da cidade não seria somente relativa ao tema das pichações".

Ações concretas

Uma das principais ações que poderão ser implementadas, de acordo com a aprovação dos vereadores de São Paulo, será a aplicação de multas que podem chegar à quantia de R$ 50 mil.

Publicidade

Ao se reunir com parlamentares, João Doria passou a defender como punição para pichadores que forem flagrados cometendo atos de pichação e até mesmo, danificando bens públicos, a obrigação e punição direcionada ao pichador, de ter que arcar com todos os custos de reparos dos locais públicos se tornarem alvos de suas tintas. Ainda segundo o prefeito, as ações "estão sendo estudadas", como por exemplo, a aplicação de R$ 5 mil no primeiro ato de pichação, ou seja, a pessoa que for pega pichando, deverá ser indiciada e responder criminalmente pelo ato, além de ter que pagar uma multa "salgada".

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Governo

O prefeito ainda considerou que "se o infrator não pagar, sofrerá um processo judicial e se for reincidente, a multa dobra para a quantia de R$ 10 mil", ressaltou o prefeito. Entretanto, oque pode ser ainda "pior" para os pichadores, é que se o alvo das tintas, for monumento público da cidade, seja estadual ou municipal, a multa aplicada se estenderá à cobrança de R$ 50 mil e ainda arcar com os custos do valor da restauração do que for danificado.

Resposta ao vereador Suplicy

O vereador petista Eduardo Suplicy, trouxe à sessão o grafiteiro Mauro Neri, que foi preso na semana passada ao tentar retirar a tinta da Prefeitura em sua obra, na Avenida 23 de maio. Segundo Suplicy, Doria deveria também "pedir desculpas pelas palavras de Doria", em relação ao ex-presidente Lula, que foi chamado de "o maior cara de pau do Brasil". Doria respondeu enfaticamente ao vereador petista e ao grafiteiro: "O que combatemos são os pichadores, não os grafiteiros e nem aos muralistas, que terão um programa de valorização, porém, quanto ao ex-presidente Lula, prefiro não me manifestar, já que vive um drama pessoal, devido à saúde de dona Marisa", concluiu.

Publicidade

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo