Nesta última terça-feira (21), uma comissão especial analisou a PL7180/14 referente ao projeto de Lei "Escola Sem Partido". Para avaliar juntamente com os deputados, foram convidadas a presidente da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes), Camila Lanes, e Gelcivânia Mota Silva que é representante da União Nacional dos Dirigentes Municipais da Educação (Undime), ambas falaram contra o projeto de Lei.

Do lado oposto, em prol do "Escola sem Partido", estavam o advogado Felipe Barros Ribeiro e a professora Graça Campagnolo da Universidade Federal do Pará (UFPA). A comissão especial foi presidida por Marcos Rogério (DEM-RO).

O objetivo do "Escola sem Partido" é obrigar que as escolas respeitem as opiniões e convicções de familiares ou responsáveis pelos alunos. Ou seja, impedir que influências ideológicas dos professores atinjam os alunos.

Camila, Feliciano e Bolsonaro

Em um vídeo circulando no canal YouTube, momentos importantes da comissão são mostrados, incluindo a fala da presidente da Ubes. Camila começa dizendo sobre as ocupações nas escolas públicas que marcaram o Brasil no ano passado e consequentemente prejudicou milhares de alunos a realizarem o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Camila enfatiza que o movimento não foi feito por "nenhuma doutrinação dos professores", deputados que estavam na bancada riram da jovem. A presidente da Ubes também afirmou que ela era uma das estudantes que ocuparam as escolas e que não foi preciso que nenhum professor intervisse na sua escolha.

Os melhores vídeos do dia

Quando Camila se referiu ao momento do impeachment de Dilma Rousseff, ela chamou Dilma de "presidenta", o que arrancou mais risos dos deputados.

Em resposta para os argumentos da jovem, o deputado Marco Feliciano iniciou seu discurso e disse que chegou a conclusão de que a "esquerda teria se desesperado com o projeto". Ele lembrou que a moça estava com uma camiseta escrito "fora Temer" utilizando isso para mostrar que os argumentos de "não doutrinação" de Camila, seriam chulos.

Como o último deputado a se expressar, Eduardo Bolsonaro citou que Camila estaria apenas ao lado de um partido político. Ele cita que não está se apresentando os direitos, mas explanando que é em prol de partidos de esquerda.

Bolsonaro disse que a moça enfatiza que representa estudantes, mas aparece em fotos com parlamentares petistas. A postura de Camila também foi criticada pelo deputado, ele fala que a forma como ela se manifesta na comissão, com gestos de deboche, representaria sua forma de conduta dentro da própria casa.

Veja o vídeo com momentos do debate: