João iniciou a carreira política há pouco mais de três meses e já é cotado como possível candidato do PSDB para as eleições presidenciais de 2018. Há rumores de o tucano seria o nome mais forte do partido para encarar Luiz Inácio Lula da Silva e Jair Bolsonaro no ano que vem.

Dória foi eleito prefeito da cidade de São Paulo no primeiro turno das eleições de 2017 e desbancou o ex-prefeito petista Fernando Haddad.

Publicidade
Publicidade

Pela primeira vez na história das Eleições paulistas um candidato venceu no primeiro turno. A disputa do segundo turno era quase certa.

Nos dois primeiros meses à frente da maior cidade do país, Dória pouco descansou, viu sua popularidade crescer, apesar das críticas recebidas de alguns setores que foram contras algumas das ações do prefeito, e tornou-se um nome forte no PSDB.

Em entrevista à rádio Jovem Pan, Dória falou que foi eleito para ser prefeito e que vai “prefeitar”.

Publicidade

Adversários dentro da legenda

Geraldo Alckmin, candidato à presidência em 2006; José Serra, candidato em 2002 e 2010; e Aécio Neves, candidato em 2014; são os nomes mais comentados quando se fala na disputa presidencial de 2018. Os três foram derrotados quando concorreram.

João Doria surgiu de repente nesse grupo. Com o discurso de que não é político, mas gestor, conquistou a maior cidade do país e pode conquistar todo o Brasil.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Eleições PSDB

Mas para concorrer em 2018, teria que deixar a prefeitura com dois anos no cargo.

José Serra, que recentemente deixou o cargo de chanceler no governo Michel Temer, fez isso e acabou ganhando a rejeição de parte dos paulistanos. Em 2012, por exemplo, perdeu as eleições municipais para Fernando Haddad (PT) mais porque o paulistano o rejeitou do que por qualquer outra coisa.

Principais concorrentes

As pesquisas de intenção de votos já divulgadas mostram que Lula aparece à frente dos demais candidatos e surge como favorito para, pelo menos, chegar ao segundo turno de 2018.

O problema para o ex-presidente é a rejeição na casa dos 45%.

Outro nome forte é o de Jair Bolsonaro (PSC), deputado federal que está bem nas pesquisas e pode chegar ao segundo turno no ano que vem.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo