O que Lula e Silvio Santos têm em comum? É isso o que o Ministério Público Federal (MPF) quer saber. Em solicitação enviada à Justiça do Distrito Federal, o órgão cita que o apresentador e dono do SBT e o ex-presidente da República tiveram um encontro suspeito. O encontro aconteceu em pleno Palácio do Planalto, em Brasília. O objetivo principal, como mostra uma reportagem da Revista Veja publicada nesta quinta-feira, 20, seria tratar pendências relativas ao Banco Panamericano, que voltou a ser alvo da polícia durante a 'Operação Conclave'. O encontro não havia sido anunciado pela agenda do presidente, mas aconteceu em 22 de setembro de 2010.

Silvio Santos queria uma ajuda de Lula para encontrar um meio para conseguir "ressuscitar" o seu banco, completamente endividado. A reunião foi marcada após o empresário descobrir que o Banco Central encontrou irregularidades nas contas do Panamericano. Naquele período, como o banco pertencia ao grupo empresarial do pai de Patrícia Abravanel, corria-se o risco de ele ter seus bens penhorados, como o próprio SBT. O ex-presidente do Grupo de Silvio, Luiz Sebastião Sandoval, revela que não houve nada de errado ou fraudulento no encontro do ex-presidente e do comunicador e confere à imprensa que a conversa entre os dois teve sim o objetivo de salvar o banco, mas que isso não é ilegal.

No entanto, na época, o encontro do dono do SBT com Luiz Inácio Lula da Silva ganhou outra vertente.

Foi noticiado, como mostra a Veja, que os dois discutiam as doações para o Teleton. O programa é uma espécie de caridade feita pelo SBT para ajudar uma associação que cuida de deficientes, a AACD. A fraude no ex-banco do 'Homem do Baú' ocorreu, justamente, no momento em que seu grupo tinha conseguido um aporte bilionário e polêmico, conseguido com o FGC, um fundo que garante créditos a empresários e que precisa da autorização de órgãos governamentais em suas negociatas.

Assim que a fraude foi descoberta, os executivos do banco foram demitidos e novas pessoas entraram em seus lugares. O Ministério Público Federal diz que Silvio somente vendeu o seu banco para o BTG Pactual, pois não tinha mais nenhuma alternativa para salvá-lo.

Na operação Conclave, deflagrada pela Polícia Federal nesta semana, um dos investigados é o irmão caçula do empresário e apresentador de TV Silvio Santos. Até o momento, o apresentador não comentou o encontro polêmico com Lula. A Veja, que noticiou o caso, não diz se Lula ou seu instituto foram procurados para comentar a conversa polêmica, que agora já ganha suspeitas fraudulentas.