O deputado estadual paranaense, Alexandre Guimarães (PSD), foi surpreendido após a eleitora Daniele Schatz emitir uma denúncia alegando uso indevido de dinheiro público por parte do político. Gastos em restaurantes, bares e casas noturnas estão na lista de Alexandre, levando-o a gastar mais de R$ 80 mil de verba vinda da Assembleia Legislativa do Paraná (Alerp). Além de restaurantes e baladas, dinheiro para uso com combustíveis e viagens também estão na numerosa lista.

Vindo de família de políticos, Alexandre Guimarães é o filho do ex-prefeito da cidade de Campo Largo. Daniele Schatz contou que devido a cidade ser pequena, as pessoas se encontraram e comentaram esse tipo de atitude do parlamentar.

Grupos no aplicativo WhatsApp focaram em Guimarães como assunto do momento, moradores também sabem dizer em quais restaurantes e bares é possível se encontrar com o deputado. Daniela resolveu abrir uma denúncia após entrar no site do Portal da Transparência do governo [VIDEO], muito curiosa, a moça conta que pesquisou através de CNPJ e conseguiu localizar onde o dinheiro público estaria sendo gasto. Daniela conta que isso não é justo com a população e que é uma imensa "cara de pau" do político.

Segundo Daniela, quando procurava o destino do dinheiro, os valores mais altos estavam em restaurantes e baladas, entre eles a "Taj" e o "Hard Rock Café". Em uma das situações, Alexandre Guimarães gastou mais de R$ 500 em uma pizzaria em Campo Largo. Uma outra conta também foi encontrada em um restaurante localizado em Santa Felicidade, todos na região do Estado do Paraná.

Os melhores vídeos do dia

Agora com a denúncia de Daniela, o juiz responsável pelo caso, Eduardo Novacki, ordenou que o deputado apresente detalhadamente essas contas em um prazo estipulado de 30 dias, com isso haverá a decisão sobre o valor do reembolso que deverá ser feito.

O salário de deputado estadual é de R$ 23 mil, porém ainda há uma cota de R$ 31,4 mil para utilizar em gastos durante o exercício do mandato. Na cota, gastos com viagens e restaurantes são pagos desde que isso se refira a profissão. Para a contratação de funcionário comissionados, os deputados ainda recebem cerca de R$ 78,1 mil.

Recentemente, a 2° Vara da Fazenda Pública de Campo Largo bloqueou cerca de R$ 66,2 mil da conta do deputado, ele teria utilizado de verba pública para fazer propagandas de caráter pessoal.

Ao ser procurado para se pronunciar sobre a denúncia, a assessoria de Alexandre Guimarães preferiu não se manifestar.