Nesta segunda-feira (19), o presidente Michel Temer enviou uma resposta à modelo brasileira #Gisele Bündchen anunciando o veto de Medidas Provisórias que poderiam causar grande desmatamento na Amazônia. A modelo apelou para que o presidente não aprovasse as medidas que foram distorcidas na Câmara dos Deputados.

Temer decidiu e vetou "integralmente" trechos de duas medidas provisórias. O veto foi confirmado mais tarde pela assessoria do Palácio do Planalto. De acordo com especialistas, caso o presidente sancionasse as propostas, ocupações ilegais de terras seriam favorecidas e a floresta seria vítima de grandes desmatamentos.

Gisele Bündchen havia publicado em seu Twitter mensagens em português e inglês pedindo para que o presidente vetasse esses projetos polêmicos. Ela disse, citando #Michel Temer, que "é nosso trabalho proteger nossa Mãe Terra".

O peemedebista respondeu a Gisele e à ONG WWF, também pelo Twitter, que havia decidido pelo veto.

Propostas

A Medida Provisória 756 tinha como objetivo ampliar os limites do Parque Nacional do Rio Novo, no estado do Pará, com isso diminuindo assim, uma parte da Floresta Nacional do Jamanxim. O parque ambiental do Jamanxim é uma santuário de 1,3 mil hectares com uma grande variedade de espécies nativas da Amazônia.

O parque já havia sofrido ameaça de exploração predatória por ficar perto da estrada Cuiabá-Santarém.

Os parlamentares também incluíram no projeto uma alteração no Parque Nacional de São Joaquim, em Santa Catarina.

Os melhores vídeos do dia

Críticas

As MPs foram duramente criticadas pelos especialistas que viram a grande chance de facilitar o desmatamento nas regiões. O Ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, também se manifestou contra essas alterações realizadas no Congresso e disse que confiava no presidente Temer em vetá-las.

Um dos defensores das medidas, é o presidente da Federação da Agricultura do Pará (Faepa), Carlos Xavier. Segundo Xavier, as mudanças trariam desenvolvimento para a região amazônica. Seria uma segurança, não só na área fundiária, mas também, na área social e econômica, disse Xavier.

O presidente da Faepa também ressaltou que além do cuidado com o meio ambiente, deve haver também, oportunidade das pessoas produzirem.

O pesquisador Imazon Heron Martins afirmou que Michel Temer fez bem em vetar as MPs, pois elas trariam crimes ambientais às regiões, sendo propostas extremamente negativas para toda a Amazônia. #amazonia