O presidente da República, #Michel Temer, esteve nesta quinta-feira (22) em Oslo, Noruega. O político participou de uma reunião envolvendo cerca de 17 empresários noruegueses. O país tem grande representação no Brasil, já que é o oitavo maior investidor com notoriedade em energia e petróleo.

Temer contou com a presença dos ministros de Relações Exteriores, Aloísio Nunes; Marcos Pereira, Indústria e Comércio; e Antonio Imbassahy, da secretaria do governo federal. Durante a conversa, Michel Temer afirmou que o Brasil estaria deixando para trás uma severa crise que ameaçou a população. Ele tentou manter um "voto de confiança" perante os noruegueses.

Um fato que chamou atenção é que havia apenas um repórter cobrindo a visita de Temer. O jovem jornalista tem apenas 23 anos e estaria na sua terceira reportagem após ter se formado na faculdade. O jovem iria escrever, para a edição desta sexta-feira, sobre a #Corrupção no Brasil. A visita do presidente brasileiro não atraiu outros repórteres locais.

As empresas que participaram desse encontro se mostraram muito preocupadas com a situação brasileira, enfatizando a crise política e econômica do Brasil. O presidente da Kongsberg, Egil Haugsdal, avaliou que o impacto é mostrado na paralisação das atividades.

Após as derrotas do governo

Michel Temer avaliou que estaria disponível para "conversar" com o Congresso Nacional. Essa decisão se deu em base nas derrotas das reformas. Na Noruega, o presidente ignorou as duas derrotas que sofreu esta semana na aprovação da reforma trabalhista.

Os melhores vídeos do dia

Temer enfatizou que em seu governo há um diálogo entre os poderes Legislativo e Executivo, e disse que "conta" com o apoio de todo o Congresso e está aberto para diálogos. Temer também disse que a inflação está sob controle e a economia voltou a crescer com seu governo.

De olho na JBS

Com várias polêmicas envolvendo Michel Temer com a empresa #JBS, dos empresários Joesley e Wesley Batista, a preocupação do governo é que os escândalos não "vazem" para fora do país. O Palácio do Planalto busca ferramentas para não deixar com que os crimes confessados pelos empresários fiquem impunes.

O objetivo é impedir que bancos públicos, como o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), se tornem alvo de calotes da JBS. A Advocacia Geral da União (AGU) pediu ao Tribunal de Contas da União (TCU) que bloqueie bens do empresário Joesley Batista para ressarcir as perdas do BNDES.