Anúncio
Anúncio

Muita gente acreditou que o empresário Joesley Batista ficaria para sempre calado, após fazer uma delação bombástica que envolveu, inclusive, o presidente da República, Michel Temer, do PMDB. No entanto, não foi isso o que ocorreu, pelo contrário. Após 67 dias de silêncio, Joesley quebrou o silêncio e deu um depoimento importante ao jornal Folha de S.Paulo.

Batista deu detalhes importantes sobre sua delação e insinuou que o pior pode estar por vir, ao falar que muitos áudios foram feitos, mas que não esperava o vazamento do específico envolvendo Temer. No áudio, fica subentendido que o presidente da República teria dado o aval para o dono da JBS comprar o silêncio do ex-deputado federal Eduardo Cunha, preso pela Operação Lava Jato.

Anúncio

'Passei de maior empresário da carne para bandido confesso', lamenta Joesley Batista em desabafo

O empresário, que escreve o texto em primeira pessoa, disse que a divulgação da gravação envolvendo Temer trouxe a ele muita angústia e medo. Joesley, que abalou as estrutura do governo Temer, alega que o tempo lhe dará razão a tudo o que fez e que muita coisa está por vir.

Em outro trecho do artigo, o empresário da JBS ainda diz que saiu de maior produtor de carne do mundo para bandido confesso. O marido da apresentadora Ticiana Villas Boas lamenta ainda o que chamou de expressões desrespeitosas que muitos brasileiros fizeram a ele durante esse tempo. Atualmente, Joesley e a família vivem em uma apartamento em um dos pontos mais caros do estado de Nova York, nos Estados Unidos.

Anúncio
Os melhores vídeos do dia

Joesley Batista diz que delação foi o seu ‘renascimento’ e que não se arrepende

O empresário ainda diz que acabou se colocando sua imagem como a do homem irresponsável, que colocou fogo no país e foi curtir a vida fora após roubar milhões, mas que todos os acordos que acabou fazendo foram com o único intuito de preservar sua empresa e muitos que dela se beneficiam.

O empresário conta ainda que não se arrepende da delação e que ela, que aconteceu no dia do aniversário de um dos seus filhos, acabou marcando o que chamou de seu ‘’renascimento’’. Isso porque ele teve coragem de romper com o que chamou de corrupção sem fim entre as maiores autoridades do país.

"Eles [os políticos] estão em modo de negação.

Anúncio

Não os julgo. Sei o que é isso. Antes de me decidir pela colaboração premiada, eu também fazia o mesmo", disse Joesley. Ele ainda aproveitou para negar que fez tudo isso para ajudar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e reclamou da exposição de sua família diante do episódio.