A senadora [VIDEO] Ana Amélia Lemos revelou que houve desvios de dinheiro publico e que o valor passa de R$ 5 bilhões. Ela fez um apelo aos investigadores da PF para que façam uma investigação sobre o caso. Segundo a senadora, [VIDEO]esses desvios trazem consequências gravíssimas, como a escassez de recursos para os profissionais da área da saúde fazerem um bom procedimento durante seus atendimento aos pacientes.

Foi constado pela Corregedoria Geral da União desvios de verbas na área da saúde entre 2012 e 2015 que chegam a passar de R$ 5 bilhões. O Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS) apresentou um esquema em documentos que mostra, formas diferentes de desvios de verbas, tanto dentro das instituições Federais, Estaduais e Municipais.

Dentre as irregularidades, está comprovado a compra de medicamentos que não chegaram aos hospitais e postos de saúde, com valores três vezes acima do preço normal.

Moro diz que o povo não acredita mais em democracia

Em um evento organizado pela Jovem Pan, o juiz Sérgio Moro falou um pouco sobre corrupção, um dos principais problemas que o Brasil esta enfrentando, durante seu discurso. Moro destacou consequências causadas por esse tipo de crime e o quanto afeta tanto o povo brasileiro quanto a democracia. Segundo Sérgio Moro, os eleitores perderam a fé na democracia no País, pois políticos cometem seus crimes e ficam impunes. O juiz também lamentou e disse que a corrupção pode até ser impossível de acabar, mas é preciso exterminar ao menos os crimes de corrupção esquematizada, pois são os crimes que mais afetam o país.

Ele disse que as pessoas não podem deixar de acreditar no sistema democrático e viver com a garantia de que quem comete crimes serão punidos, cedo ou tarde.

Joesley ainda não assumiu todos os crimes

Segundo Ivan Marx, Procurador do Ministério Público (MP) de Brasília, Joesley Batista, empresário e executivo da rede J&F, não contou tudo em suas deleções premiadas. Ele acredita que estão escondendo crimes que foram cometidos no Banco de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDS). Ainda que exista uma imunidade penal para os julgados através de acordos feito com Rodrigo Janot ,procurador-geral da República, Ivan Marx quer apresentar novas denúncias. Segundo o procurador Ivan Marx, existem fraudes em contribuições bilionárias, entre o grupo J&F e o BNDS, mas pela proteção que o delator tem, não estão sendo anexadas as denúncias.